quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

ACIDENTE COM ÔNIBUS E MICRO-ÔNIBUS FERE 25 EM SÃO PAULO


Um ônibus e um micro-ônibus se envolveram em um acidente na Av. Jacu-Pêssego, altura da Rua Jaime Ribeiro Wright, em Itaquera, no sentido da rodovia Ayrton Senna, na Zona Leste de São Paulo.

O acidente deixou 25 feridos, sem gravidade. No entanto, o trânsito se complicou na região, com três faixas da Av. Jacu-Pêssego fechadas para o trânsito, também no sentido Ayrton Senna. Até o meio-dia, o trânsito estava congestionado na região.

PROTESTO PACÍFICO INTERROMPEU TRÃNSITO NA AV. DAS AMÉRICAS, NO RJ


Um protesto contra irregularidades no sistema BRT fechou, esta manhã, o trânsito na Av. das Américas, próximo à Estação Mato Alto, em Guaratiba. Foram cinco horas de manifestações comandadas por moradores da região.

O trânsito ficou complicado na avenida, interrompendo os dois sentidos da via exclusiva dos BRTs. Houve reflexos no trânsito das estradas da Capoeira Grande e do Magarça, também em Guaratiba, e nos bairros de Sepetiba, Pedra de Guaratiba e Santa Cruz.

O protesto não causou danos materiais e encerrou no final da manhã. Mesmo assim, o trânsito já estava bastante congestionado e, até o começo desta tarde, havia retenção no tráfego na área.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

PR: CURITIBA AMANHECE SEM ÔNIBUS NAS RUAS NO 1º DIA DE GREVE DOS RODOVIÁRIOS


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: O sistema de ônibus de Curitiba, nos padrões impostos por Jaime Lerner no auge da ditadura militar, há 40 anos, caduca mesmo quando implantado tardiamente em outras cidades, como Rio de Janeiro e Teresina.

E, sob quase todos os aspectos - sobretudo pintura padronizada, adoção aleatória de corredores expressos sem observar as estruturas urbanas de cada cidade e a sobrecarga de horário dos rodoviários - , esse padrão de transporte coletivo e mobilidade urbana não oferece mais respostas para a população, mas as autoridades insistem em querer resolver os problemas sem acabar com os mesmos.

PR: Curitiba amanhece sem ônibus nas ruas no 1º dia de greve dos rodoviários

Do Portal Terra

Os curitibanos estão enfrentando na manhã desta quarta-feira a paralisação nos serviços de transporte coletivo, após a decisão de motoristas e cobradores de entrarem em greve a partir da meia-noite. Não há ônibus circulando pela cidade, o que afeta diretamente a população.

Às 7h, com o início do horário de pico, as estações-tubo e os pontos de ônibus já estavam vazios depois que os usuários dos ônibus receberam a informação da greve. O trânsito também está mais congestionado do que normalmente acontece. A opção de muitas pessoas foi utilizar a bicicleta. Os ciclistas estão circulando pelas canaletas onde normalmente existe grande movimento dos ônibus expressos.

As garagens das empresas de ônibus estão fechadas. A falta de circulação de ônibus vai contra a decisão da Justiça do Trabalho, que determinou ontem que 70% dos ônibus circulem nos horários de pico e 40% da frota em outros horários.

Na assembleia de ontem à noite, quando foi definida a greve, a categoria disse que ainda não havia sido informada da decisão e que paralisaria o serviço totalmente. Segundo o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), a adesão à greve é de 100%.

A Urbanização de Curitiba (Urbs), que gerência o transporte coletivo na capital paranaense, está cadastrando carros particulares para iniciar o serviço de lotação, diante da greve de motoristas e cobradores. Esse tipo de transporte deverá ser feito apenas por veículos cadastrados pela prefeitura e a tarifa não pode ser superior a R$ 6. A Urbs informou que a decisão judicial que garante parte das frotas na rua foi entregue ao Sindimoc ainda ontem e confirma 100% de adesão à greve. A paralisação afeta 2,3 milhões de passageiros, que utilizam diariamente a Rede Integrada de Transporte, que atende Curitiba e 13 municípios da Região Metropolitana.

PROTESTO COMPLICOU TRÂNSITO DA AV. FRANCISCO BICALHO, NO RJ, ESTA MANHÃ


Um protesto de vários manifestantes sem-teto, que havia invadido um edifício abandonado no entorno da Zona Portuária, no Rio de Janeiro, havia fechado parte da Av. Francisco Bicalho, próxima à Rodoviária Novo Rio, com barricadas, o que complicou o trânsito esta manhã.

A manifestação foi pacífica, e seu objetivo foi pedir moradias para os sem-teto que se alojaram no local. Mas o trânsito se complicou de tal maneira que as autoridades chegaram a definir a situação do tráfego como "gravíssima".

Reflexos do engarrafamento eram observados em vias como a do Túnel Santa Bárbara, Túnel Rebouças ou mesmo na Estrada Grajaú-Jacarepaguá. Os veículos foram obrigados a optar por outras vias, como a Linha Vermelha ou as avenidas que vão para São Cristóvão e Mangueira.

A pista foi liberada há poucos minutos, mas o trânsito ainda era caótico no momento da liberação.

ACIDENTE ENTRE DOIS ÔNIBUS COMPLICA TRÂNSITO NA PENHA, NO RJ


Um acidente aconteceu hoje de manhã no Rio de Janeiro, envolvendo dois ônibus, que se colidiram na pista central da Av. Brasil, altura da Penha, na Zona Norte da cidade. Os ônibus eram da Transportes América e da Viação Vila Real, ambos exibindo a pintura do consórcio Internorte, e eram ônibus considerados semi-novos.


O acidente não deixou feridos, mas obrigou os passageiros de ônibus a saltarem dos veículos, que já estavam bastante lotados. Eles tiveram que esperar no meio da pista, que costuma ter um grande fluxo de veículos neste horário. O trânsito teve retenção devido ao acidente.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

QUARTO DIA ÚTIL APÓS MUDANÇAS NO CENTRO É DE CAOS NO TRÂNSITO


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Mais um fato da tragicomédia do transporte coletivo e da mobilidade urbana no Rio de Janeiro. Não bastassem os engarrafamentos de sempre, os semáforos pifaram, deixando o tráfego ainda mais confuso. E há quem diga que tudo isso é apenas coincidência e que o modelo adotado é maravilhoso. Vá entender.

Quarto dia útil após mudanças no Centro é de caos no trânsito

Por Tiago Federico - Jornal O Dia

Rio - O trânsito esteve caótico nos principais acessos ao Centro do Rio na manhã desta quinta-feira. Na Ponte Rio-Niterói, o motorista perdeu pelo menos 50 minutos, com trânsito lento em toda a extensão. Não bastasse os transtornos enfrentados no trânsito após as mudanças no Centro do Rio, uma falha na comunicação dos semáforos da cidade complicou ainda mais a vida dos motoristas na região.

Os motoristas encontraram trânsito lento na chegada ao Centro pela Avenida Brasil, na altura do Into, e no Viaduto do Gasômetro, logo na descida para a Avenida Francisco Bicalho. O panorama era o mesmo para quem seguia pela Avenida Francisco Bicalho, no sentido Cidade Nova. Trânsito lento também na Via Binário, Avenida Venezuela e Rua Camerino, que apresentava retenção próximo da Avenida Marechal Floriano.

Ainda assim, este trajeto era melhor que o Trevo das Forças Armadas e a Avenida Presidente Vargas, que tinha lentidão no sentido Candelária a partir da Cidade Nova. O trânsito também era intenso na Avenida Passos, Praça Tiradentes e Avenida República do Paraguai.

O trânsito também estava lento na Rua Benedito Hipólito e ao longo do Elevado 31 de Março, em direção à Zona Sul. Muitos motoristas escolheram esta rota para fugir do trânsito do Centro, mas acabaram enfrentando retenções na chegada à Rua Pinheiro Machado, em Laranjeiras, no sentido Botafogo. A melhor opção para a Zona Sul foi o Túnel Rebouças ou Aterro do Flamengo - mesmo com carreata de taxistas - , via Região Portuária e Avenida Passos e Lapa.

Falhas nos sinais piora ainda mais o tráfego 

De acordo com o Centro de Operações Rio, foram identificadas falhas nas centrais semafóricas de alguns pontos da Zona Sul, Centro e Zona Norte. Tiveram problemas também os semáforos da Rua Conde de Bonfim, no cruzamento com a Rua Uruguai, e em diversos trechos da Avenida Dom Hélder Câmara, na Zona Norte, e na Avenida Francisco Bicalho. Na Zona Sul, os semáforos com problemas foram na Avenida Borges de Medeiros, na altura da Rua J.J Seabra, na Lagoa, e na Rua das Laranjeiras.

Equipes da CET-Rio e da Guarda Municipal foram acionadas para operarem nos locais mais afetados. Também foram enviadas equipes de manutenção para reparar o defeito. Mais cedo, o sinais da Avenida Presidente Vargas, na altura da Central do Brasil, apresentou problemas, mas já voltaram a funcionar. O sistema de 11 centrais foi totalmente restabelecido no fim da manhã.

Trânsito caótico do Centro do Rio afeta Região Metropolitana

As dificuldades não foram apenas para atravessar a Ponte, em Niterói. Quem vinha de São Gonçalo, por exemplo, também sofreu. Segundo a Autopista Fluminense, foram cinco quilômetros de congestionamento na BR-101, do km 316 ao km 321, entre as regiões de São Gonçalo e da Avenida do Contorno.

Saindo de Duque de Caxias, a situação era parecida. A Rodovia Washington Luiz, segundo a Concer, esteve congestionada entre o km 117 e o km 125, no sentido Rio, devido à retenção na Linha Vermelha e Avenida Brasil.

Vindo pela Dutra, motorista que saía de Nova Iguaçu, Belford Roxo, São João de Meriti, Queimados, entre outros municípios da Baixada Fluminense, encontrou retenção na chegada ao Rio, no trecho entre a Pavuna e Irajá, no acesso à Avenida Brasil.

As péssimas condições de tráfego da Linha Vermelha e da Avenida Brasil foram reflexos da chegada ao Centro, que apresentava retenção. Quem vinha pela Avenida Brasil, por exemplo, ficava preso no trânsito, saindo da Zona Oeste, a partir de Coelho Neto. Às 10h, a lentidão era a partir da altura da BR-040. Na Linha Vermelha, as dificuldades, no sentido Centro, começaram na altura da Infraero e seguiam até o Caju.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

ACIDENTES E IRREGULARIDADES DE HOJE COM ÔNIBUS DO RIO DE JANEIRO


Dois acidentes e uma amostra de irregularidade envolvem ônibus municipais do Rio de Janeiro em notícias registradas desde a última terça-feira.

Na tarde de ontem, um acidente envolvendo dois ônibus aconteceu na Av. Brasil, na altura de Bonsucesso. Um ônibus da Transportes Paranapuan e outro da Auto Viação Bangu se colidiram e o motorista deste último, Francisco Evaldo, de 41 anos, foi conversar com o motorista do outro ônibus, Jailton Santos Silva, de 31 anos, quando este deu a arrancada.

Francisco foi arrastado por cerca de 200 metros e, gravemente ferido, foi socorrido para o Hospital Sousa Aguiar, no Centro do Rio, mas não resistiu aos ferimentos e morreu antes de receber os primeiros socorros. O motorista que causou a morte do colega fugiu.

Já na Linha Amarela, um internauta registrou hoje a imagem de um ônibus da linha 693 Méier / Barra da Tijuca, que estava superlotado, inclusive com passageiros pendurados correndo risco de acidentes, e com a porta aberta. Era um micrão do consórcio Transcarioca, operado pela empresa Transurb, antes considerada uma das mais exemplares do Rio de Janeiro.

A Rio Ônibus, representante dos consórcios da cidade, admitiu que o ônibus tinha a porta danificada, afirmando que normalmente ônibus assim possuem dispositivo para não circularem com as portas abertas.


Outro acidente aconteceu no amanhecer de hoje na Rua Cândido Benício, na Praça Seca, sentido Largo do Tanque. Um ônibus da Litoral Rio perdeu o controle da direção, subiu a calçada e invadiu a mureta de um prédio.

Com o acidente, parte de uma loja também foi atingida e seis pessoas saíram feridas, entre elas duas menores, mas todas sem gravidade. Depois do ocorrido, o trânsito na rua, que liga a região de Madureira Jacarepaguá, teve o tráfego congestionado, por conta da interdição de uma das faixas da via, complicando o trânsito durante várias horas.

ÔNIBUS PROVOCA ACIDENTE EM NITERÓI


Um ônibus da Santo Antônio Transportes (Transoceânico) provocou um acidente na altura da Rua Miguel de Frias, entre o cruzamento da Rua Fagundes Varela com a Rua Mem de Sá, em Icaraí, Zona Sul de Niterói. O fato ocorreu às 10:50 h da manhã de hoje.

O ônibus, em alta velocidade, deu uma "cortada" e bateu numa caminhonete, causando danos materiais. Depois o ônibus teve que estacionar alguns metros adiante, mas antes da esquina com a Rua Gavião Peixoto, e o motorista saiu do ônibus para conferir o estrago.

Ninguém saiu ferido, mas todos os passageiros tiveram que desembarcar do ônibus para esperar outro que veio depois. O ônibus acidentado operava na linha 36 Sapê / Centro e já apresentava lataria amassada e estrutura sem manutenção antes do acidente.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

RIO DE JANEIRO ENFRENTA CONFUSÃO NO TRÂNSITO DO CENTRO

PESSOAS SÃO OBRIGADAS A ATRAVESSAR ENTRE DOIS ÔNIBUS, SOFRENDO SÉRIO RISCO DE ACIDENTE.

A segunda-feira de trânsito modificado no Centro do Rio de Janeiro, nos preparativos para a derrubada total do Elevado da Perimetral - que chegou a ser anunciada para ontem, mas foi adiada, mais uma vez, para o dia 24 - foi de muito caos e confusão.

Apesar das recomendações para as pessoas não usarem automóveis, o trânsito ficou parado em muitos trechos. Parte da Av. Rio Branco ficou vetada para automóveis particulares, se limitando a ônibus e táxis. A mesma avenida passou a funcionar em mão dupla, para compensar o fechamento da Av. Alfred Agache.

Em muitos trechos, o trânsito foi simplesmente travado. A mudança de muitas linhas de ônibus para a Candelária e a diminuição de linhas que circulam no entorno da Lapa - sobretudo na Av. República do Paraguai, uma das usadas para escoamento do trânsito que antes passava pela Perimetral e Alfred Agache - não resolveu o trânsito, que ficou complicado em várias horas.

Já as barcas, trens, metrôs e ônibus apresentaram aumento de demanda. Nas barcas, por exemplo, o reforço de embarcações antigas, de cerca de 50 ou 55 anos de fabricação, não resolveu a superlotação do transporte, e o problema se estendia também nas longas filas para comprar o bilhete de passagem.

O Rio de Janeiro enfrenta sua pior fase de mobilidade urbana, vide o modelo autoritário de Eduardo Paes. É evidente que várias medidas são necessárias, sobretudo a controversa derrubada do Viaduto da Perimetral, mas da forma como ela é feita causa muita confusão e transtornos. Seu secretário Carlos Roberto Osório só sabe falar bonito, os atos deixam muito a desejar.

Imagina-se o que será daqui a alguns meses, quando os turistas passarão a enfrentar as mesmas confusões, a ponto delas refletirem no noticiário internacional.

sábado, 15 de fevereiro de 2014

ACIDENTES E ÔNIBUS QUEIMADOS NO RJ, SP E DF


A crise do modelo tecnocrático de sistema de ônibus, com poder concentrado no Estado que impõe sua imagem até na pintura padronizada para as empresas, acumula cada vez mais incidentes dramáticos.

Em São Paulo, dois ônibus bateram na proximidade da Av. Bandeirantes, na Marginal do Rio Pinheiros, sentido Rodovia Castelo Branco. Quarenta e cinco feridos foram atendidos no acostamento. O trânsito teve lentidão devido a duas pistas bloqueadas da Marginal.

Em Brasília, um ônibus (foto acima) enguiçou, na altura do Setor Industrial do Gama, o que deixou os passageiros indignados. No entanto, a intenção de incendiar o veículo partiu de um homem de 19 anos, exaltado com a revolta das pessoas. Como o de São Paulo, o incidente ocorreu na manhã de hoje.

Já no Rio de Janeiro, um ônibus da Expresso Pégaso (consórcio Santa Cruz) atropelou um ciclista na Av. Francisco Bicalho, no sentido Centro. Uma faixa da avenida chegou a ser interditada. O acidente ocorreu na tarde de ontem. Não houve informações divulgadas sobre a saúde da vítima.

E ainda querem manter esse modelo de sistema de ônibus. A sua decadência está visível e não oferece mais respostas para a mobilidade urbana. Para que manter esse modelo de secretários de Transporte prepotentes, ônibus padronizados, sobrecarga profissional e veículos com pressa de cumprir horários em cidades congestionadas?

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

PROTESTO DE MORADORES FECHA QUEIMA TRÊS ÔNIBUS NO RJ


Em reação a um tiroteio entre traficantes e policiais da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) no Morro São João, na altura do Engenho Novo (região do Méier, Zona Norte do Rio de Janeiro), que causou a morte de um homem, moradores realizaram um violento protesto no local.

Tanto o tiroteio quanto o protesto aconteceram na noite de ontem, e três ônibus foram queimados por manifestantes. Quatro foram presos pela polícia. Devido ao protesto, a Rua Barão do Bom Retiro ficou fechada durante um bom tempo.

Policiais de Camarista Méier e Lins de Vasconcelos, próximos ao morro, também foram ao local reforçar o policiamento. Nas mídias sociais, mensagens no Twitter e no Facebook aconselharam as pessoas a evitarem passar pelo local.

ÔNIBUS NOVOS DE EMPRESAS "BOAS" JÁ ESTÃO DANIFICADOS NO RJ

ÔNIBUS DA MATIAS E DA REAL, NO RIO DE JANEIRO, JÁ CIRCULAM COM ESTRUTURA DANIFICADA, COM PELAS FROUXAS E LATARIA AMASSADA. FOTOS DE KAWHANDER SANTANA.

Está muito perigoso pegar ônibus no Rio de Janeiro. Os ônibus municipais já apresentam sinal de velho, não bastasse o design da pintura padronizada - medida por si já arbitrária, antipopular (e impopular) e nociva - dar aos ônibus um tom de velho e apodrecido.

Com as inúmeras notícias sobre acidentes de ônibus, nota-se que o sistema piorou completamente, pelo poder concentrado do Estado que é o verdadeiro motivo da pintura padronizada, porque isso indica uma intervenção desnecessária que apenas piorou o que estava apenas relativamente problemático.

Se antes empresas como Pégaso, Ocidental (atual Rio Rotas), Amigos Unidos (atual Translitorânea) e Oriental eram deficitárias, hoje se observa até em empresas antes exemplares como Rodoviária Âncora Matias e Real Auto Ônibus, cujos desempenhos caíram bastante nos últimos quatro anos.

Para quem duvida disso, é só ir às ruas. Na Praça da Bandeira e em Vila Isabel, os ônibus de linhas como 232 Lins / Praça 15 passaram a correr demais e, quando correm, balançam como se fossem caminhões de entulho, ameaçando a segurança dos passageiros.

Recentemente, notou-se também que um dos carros mais novos da Matias, de número B25615, modelo CAIO Apache VIP 3, apresentou na parte lateral direita, junto à porta de trás, lataria bastante amassada, algo que só era admissível em carros da Oriental ou da recém-falecida Transmil.

O fato foi observado na Av. Rio Branco. Na mesma avenida, viu-se carros do mesmo modelo da CAIO, da Real Auto Ônibus, circularem sacolejantes, com um ronco típico de ônibus velhos, embora, em tese, não pareça que esses ônibus sejam reencarroçamentos de ônibus antigos.

Voltando à Matias, a renovação de carros da Marcopolo Torino 2007 - em que lotes mais recentes substituem os mais antigos - também não significou melhoria, uma vez que os carros novos também rodam como se fossem velhos, mesmo com uns poucos meses de fabricação.

A Matias e a Real são apenas dois exemplos típicos. Outras empresas antes consideradas boas, como Transurb e São Silvestre, apresentam ônibus sucateados. A Viação Verdun é quase uma nova Oriental, com seus carros com lataria amassada, sacolejantes e roncando feito ônibus velhos.

E tudo isso porque as empresas de ônibus não podem mais mostrar suas identidades visuais, que é o que deveria prevalecer para a relação entre passageiro e empresa. Sem a possibilidade de mostrar sua identidade visual, mas a "imagem da Prefeitura", as empresas não podem atuar de forma competitiva nem apresentar diferencial, enquanto os passageiros ficam cada vez mais confusos com tanta empresa com o mesmo visual.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

ACIDENTE COM BIARTICULADOS MATA DOIS E FERE OITO EM SP


A decadência do padrão tecnocrático de transporte coletivo está a olhos vistos, embora as autoridades que os defendam não abram mão desse padrão decadente e até tentem resolver o problema sem ter que acabar realmente com ele.

Enquanto isso, os ônibus em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo e até mesmo Curitiba estão cada vez mais sucateados, circulando com latarias amassadas, estrutura solta - que faz os ônibus rodarem como se estivessem sacolejando feito caminhões de entulho - e acidentes diversos acontecem.

Na manhã de hoje, foi a vez de São Paulo mostrar um trágico acidente, quando dois ônibus articulados colidiram depois que um deles esmagou um táxi, matando o motorista e um passageiro. Bombeiros tentam ver se uma terceira pessoa estaria presa nas ferragens do automóvel.

O acidente ocorreu na Av. Vereador José Diniz, na Zona Sul de São Paulo, na altura da Rua Joaquim Nabuco. Oito pessoas saíram feridas sem gravidade. O trânsito ficou congestionado e a faixa esquerda da pista, no sentido Centro, chegou a ficar totalmente bloqueada. Os passageiros de outros ônibus tiveram que descer dos coletivos e andar a pé pelo trecho bloqueado.

É esse o modelo de transporte coletivo que as autoridades querem que prevaleça. E é esse o sistema de ônibus que receberá os turistas que chegarão aqui daqui a cerca de três meses. Será preciso que os turistas também morram para que se admita a decadência desse modelo de sistema de ônibus originário da ditadura militar? Quantos mortos serão precisos para que se admita a crise desse sistema?

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

COLISÃO ENTRE ÔNIBUS NA BARRA DA TIJUCA DEIXA 14 FERIDOS


Uma colisão entre dois ônibus, provavelmente municipais - as fontes não creditaram as empresas - deixou o trânsito congestionado no entorno do Terminal Alvorada, na altura do Trevo das Palmeiras, que liga a Av. das Américas à Av. Ayrton Senna, na manhã de ontem.

O acidente ocorreu no sentido São Conrado e deixou 14 feridos. As vítimas foram levadas para o hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, e no Miguel Couto, na Gávea. O trânsito causou reflexos na Linha Amarela e provocou atrasos também nos ônibus do serviço Barra Expresso. O congestionamento só terminou por volta de 10 da manhã.

RIO: ÔNIBUS É QUEIMADO E PROTESTO INTERDITA PISTAS EM JACAREPAGUÁ


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: A crise social que atinge o Rio de Janeiro há tempos, aliada a decadência de todo um modelo de mobilidade urbana - que envolve não só transporte coletivo como outras medidas de cunho social - faz com que manifestações como estas continuem ocorrendo, como um protesto que teria sido feito por ordem do crime organizado.

Rio: ônibus é queimado e protesto interdita pistas em Jacarepaguá

Do Portal Terra

Manifestantes queimaram um ônibus e um banheiro químico na manhã desta terça-feira no Rio de Janeiro, mobilizando o Batalhão de Choque da Polícia Militar e complicando o trânsito na zona oeste da cidade. O protesto fechou duas pistas da Rua Cândido Benício, em Jacarepaguá, de acordo com o Centro de Operações Rio. Um grupo pequeno de manifestantes interditou a via e é observado pela polícia, que tenta negociar uma retirada pacífica desde antes das 7h.

O trânsito é intenso na região, tanto na Rua Cândido Benício quanto em vias próximas. A PM ainda desconhece os motivos da manifestação, mas acredita que seja uma forma de protesto diante do policiamento na região - que teria grande presença de traficantes.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

ÔNIBUS ATROPELA E MATA HOMEM NO RJ


Outro acidente ocorreu no Rio de Janeiro, na Av. das Américas, no Recreio dos Bandeirantes, na altura da estação Pontal do corredor do BRT.

Um ônibus BRT da Auto Viação Jabour ia em alta velocidade por volta das 7h da manhã quado atropelou um homem, que morreu no local. O trânsito ficou lento no local e, meia hora depois do acidente, os BRTs estavam circulando utilizando um desvio feito no local.

O trânsito na avenida ficou lento e apenas uma das faixas havia sido liberada para carros na ocasião. Imagens da CET-Rio já estão sendo analisadas para verificar o que motivou o acidente.

ÔNIBUS E CARRO COLIDEM EM SULACAP, ZONA OESTE DO RJ


Um acidente ocorreu na madrugada de hoje no bairro do Sulacap, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Um ônibus da Transportes Barra (consórcio Santa Cruz) colidiu com um carro em frente a um centro acadêmico da Polícia Militar.

O trânsito teve retenção no local, na Avenida Marechal Fontenele, a principal do bairro. Uma pessoa saiu ferida sem gravidade e dispensou atendimento. O acidente ocorreu às 5h45, e o trânsito só foi liberado às 9h25.

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

ACIDENTE ENTRE ÔNIBUS E TÁXI COMPLICA TRÂNSITO NO RJ


Um ônibus da Viação Pavunense (consórcio Internorte) e um táxi bateram hoje de manhã, no trecho da Avenida Beira-Mar próximo à Av. Calógeras, no bairro do Castelo, no Rio de Janeiro, próximo ao entorno do Trevo dos Estudantes.

Uma pessoa teve ferimentos leves, mas não houve necessidade da vítima ser socorrida pelos soldados do Corpo de Bombeiros que se dirigiram ao local. Com a força da batida, o táxi foi arremessado para junto à calçada.

Não foram divulgadas informações sobre qual dos dois veículos causou o acidente. Aparentemente, houve tentativa de ultrapassagem. O trânsito teve retenção depois do acidente, e uma das faixas da Av. Beira-Mar chegou a ser interditada.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...