quarta-feira, 8 de maio de 2013

MAIS ACIDENTES NOS ÔNIBUS DO RJ


Em dois dias, quatro acidentes aconteceram no Rio de Janeiro, um deles com morte. Ontem, uma colisão entre um ônibus e um carro na Av. Delfim Moreira, no Leblon (foto abaixo), na manhã de ontem, no sentido Copacabana. Não houve informação de vítimas e o congestionamento do trânsito se estendeu até São Conrado.

Hoje à tarde, às 16 horas, ocorreu o trágico acidente em que um ônibus da Auto Viação Jabour (foto acima) atropelou um jovem ciclista, de apenas 14 anos, que acabou morrendo. Ele morava numa comunidade Beira-Rio, próxima à Av. das Américas, e o acidente ocorreu na altura do Condomínio Pedra de Itaúna. O ônibus operava na linha 853 Vila Kennedy / Barra da Tijuca, no sentido Barra, e tinha 23 multas registradas pelo Detran.

Um outro ônibus, da Transportes Santa Maria, atropelou uma criança na Estrada dos Bandeirantes, na Vargem Grande, que saiu ferida e foi socorrida pelo motorista e enviada para o Hospital Lourenço Jorge. O ônibus circulava na linha 747 Vargem Grande / Madureira.

Já um outro acidente aconteceu na proximidade da Ilha do Governador, na Av. Brasil, pista central no sentido Centro. Um pedestre havia sido atropelado por um ônibus, de empresa não identificada, hoje à tarde, e até às 18:30, permanecia no local. Não foi divulgado o estado de saúde da vítima.

PREPOTÊNCIA DA SMTR, SOBRECARGA DOS CONSÓRCIOS

Aos poucos, começa a cair a máscara do modelo adotado de sistema de ônibus no Rio de Janeiro, mostrando a prepotência da Secretaria Municipal de Transportes Rodoviários. A SMTR está aumentando as exigências de eficiência, enquanto os consórcios acumulam responsabilidades demais, criando uma crise de representatividade no transporte coletivo.

Sem autonomia operacional, as empresas, que não podem exibir sua identidade visual, indicam a encampação não-oficial da Prefeitura do Rio de Janeiro. O poder da SMTR está centralizado, e isso estaria causando sérios problemas para o sistema de ônibus carioca.

Daí a falta de manutenção, as irregularidades documentais, a confusão dos passageiros com a pintura padronizada, a dupla função de motoristas que dirigem e cobram passagens, a tirania dos horários sem reordenamento do trânsito de veículos e outros problemas associados às tragédias ocorridas.



2 comentários:

  1. Adivinhem quem determinou o afastamento do motorista? Dou um doce para quem acertar. Infelizmente, foi montado um verdadeiro Frankstein como já frisei em 2010/11. Cada macaco em seu galho.

    ResponderExcluir
  2. Queremos o fim da dupla função de motorista-cobrador!

    http://paneladepressao.org.br/campaigns/37

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...