domingo, 11 de novembro de 2012

ÔNIBUS RECEBEM UMA MULTA A CADA QUATRO MINUTOS NO RIO


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: É cada vez mais evidente a decadência do modelo adotado para o sistema de ônibus do Rio de Janeiro, nos últimos dois anos. Prepotência da secretaria de Transportes, padronização visual, sobrecarga de trabalho para os rodoviários, corrupção administrativa, dupla função de motoristas e, como este texto do jornalista Bruno Rohde mostra, as infrações de trânsito.

Abaixo, é publicada a lista das piores linhas municipais do Rio de Janeiro. Note-se que até a Zona Sul apresenta irregularidades no serviço de ônibus carioca, o que não é "privilégio" dos subúrbios da Cidade Maravilhosa localizados nas zonas Oeste e Norte.

E ainda tem busólogo criando blogue ofensivo de "comentários críticos" porque não suporta ouvir certas verdades...

Ônibus recebem uma multa a cada quatro minutos no Rio

Por Bruno Rohde - Jornal Extra

A cada quatro minutos um motorista de ônibus é multado na cidade do Rio. Além de frequente, o desrespeito às leis de trânsito está aumentando na capital. Entre janeiro e agosto de 2011, os condutores de ônibus cometeram 45.769 infrações, segundo os registros do Detran. Este ano, no mesmo período, o número mais do que dobrou. Saltou para 94.129 infrações. Isso significa que durante um dia, só na capital, os ônibus recebem 385 multas.

— Tem motorista que anda muito rápido. Outro dia, teve um que deu uma freada, e todo mundo foi lá na frente — disse Ailma Bianchi, de 55 anos.

Reclamações como essa feita pela cuidadora de idosos são recorrentes na Secretaria municipal de Transportes. As denúncias geram um ranking com as piores linhas. Passageira frequente do 432 (Vila Isabel-Leblon), Ailma tem motivo para se preocupar. A linha em questão está entre as piores da cidade, segundo depoimentos dos próprios usuários.

Um levantamento feito pelo EXTRA com 54 placas de ônibus de 15 dessas linhas que mais recebem reclamações mostra que a desonrosa posição não se dá por acaso. Juntos, esses veículos já receberam 984 multas, desde 2006.

O ônibus, placa KNZ 4225, da linha 398 (Campo Grande - Tiradentes), foi o campeão de irregularidades. Desde 2011, o veículo levou 66 multas. E essa não é a única reclamação contra a linha. A atendente Ana Paula Conceição, de 30 anos, queixa-se do preço diferenciado entre os veículos expressos e os conhecidos como paradores (mais pontos no trajeto).

— Às vezes, o ônibus expresso sai até vazio. É um absurdo essa diferença, mas falam que é porque um tem ar condicionado e o outro não. Só que eles já tiveram o mesmo preço — diz ela, reclamando do sistema de tarifa diferenciado.

Vice-presidente do Rio Ônibus, sindicato que representa as empresas, Otacílio Monteiro não tem uma explicação para o aumento do número de multas, mas garante que as empresas estão investindo na formação de seus condutores até para reduzirem seus prejuízos:

— Acho estranho esse aumento de multas. A frota da capital diminuiu de 9400 para 8700 ônibus, desde a implantação do BRS (corredores para ônibus adotados no Centro e na Zona Sul). E temos a expectativa de diminuir ainda mais. Por outro lado, investimos muito na formação dos motoristas para que eles se conscientizem de que, no fim, essas multas são um ônus grande. Isso denigre a imagem de todo um sistema e pesa no bolso.

Usuários criticam a conservação dos veículos da linha 524 (Botafogo-Barra da Tijuca) Usuários criticam a conservação dos veículos da linha 524 (Botafogo-Barra da Tijuca) Foto: Fábio Teixeira / Extra

Infratores ainda ocultos

Das 94.129 multas registradas contra os ônibus até agosto deste ano, 32% são dadas às empresas pela não identificação dos condutores infratores. Ao tomar conhecimento do número, o promotor Carlos Andresano afirmou que estuda cobrar respostas da Secretaria de Transportes e do Detran para saber quais são as empresas que estão omitindo o nome de seus motoristas. Na visão dele, essa atitude é irregular e pode gerar punição.

— Esta situação é preocupante. As empresas que não cumprem as suas obrigações contratuais são passíveis de um procedimento administrativo. Em último caso, pode haver a cassação da concessão da empresa — disse ele.

O secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório, afirma que as empresas terão que informar os nomes dos condutores infratores:

— De certa maneira, as empresas acobertam as infrações dos motoristas para protegê-los de punições na carteira de habilitação. Isso faz com que o motorista tenha uma cobertura para ser mais imprudente. Vamos exigir que as empresas divulguem seus motoristas infratores. Encontraremos um meio de atingir esse objetivo. As empresas estão nos informando o nome de todos os seus profissionais habilitados. Esse cadastro está em andamento.

As piores linhas em nível de serviço

1 - 352 (Castelo-Rio Centro)

2 - 331 (Castelo-Praça Seca)

3 - 915 (Bonsuceso-AIRJ)

4 - 892 (São Benedito-Santa Cruz)

5 - 398 (Campo Grande-Tiradentes)

As piores linhas em conduta

1 - 422 (Grajaú-Cosme Velho)

2 - 457 (Abolição-General Osório)

3 - 128 (Rodoviária-Gávea)

4 - 170 (Rodoviária-Gávea)

5 - 409 (Saens Pena-Jardim Botânico)

As piores linhas em conservação

1 - 186 (Central-São Conrado)

2 - 320 (Praça XV-Parque União)

3 - 524 (Botafogo-Barra da Tijuca)

4 - 323 (Bananal-Castelo)

5 - 432 (Vila Isabel-Leblon)

Ranking da Secretaria Municipal de Transportes feito por meio de denúncias dos usuários (julho, agosto e setembro).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...