sábado, 27 de outubro de 2012

ACIDENTES PÕEM EM XEQUE MODELO DE ÔNIBUS IMPLANTADO NO RIO


Anteontem, sete acidentes de ônibus ocorreram dentro de um período de 12 horas no Grande Rio, seis só n município do Rio de Janeiro. Entre eles, estava o acidente próximo à Praça Tiradentes, entre um ônibus da Expresso Pégaso e um outro da Viação Saens Peña, que resultou em 40 feridos sem gravidade.

Outros acidentes ocorreram na Estrada dos Bandeirantes, altura de Curicica, na Rua Primeiro de Março, na Av. Rodrigues Alves e na Av. Rio Branco. Quase todos com feridos leves. E houve um acidente que, todavia, resultou em uma morte, na Rua Vinte de Abril, próxima ao Campo de Santana, com um ônibus da Real Auto Ônibus, linha 110 Rodoviária / Jardim de Alah.

Todos eles teriam sido resultados da pressão profissional sofrida pelos motoristas. Um dos problemas do "novo" sistema de ônibus do Rio de Janeiro, além da padronização visual que dificulta a fiscalização dos ônibus pelos passageiros comuns, é tanto a pressão que os consórcios formados fazem sobre os motoristas,. forçados a rodar em alta velocidade para cumprir horários em ruas com eventuais congestionamentos, quanto às irregularidades que acobertam multas contra as empresas envolvidas.

Só o ônibus da Expresso Pégaso que se envolveu no último acidente, que fez o veículo, modelo CAIO Apache VIP II e servindo a linha 361 Recreio / Carioca (via Linha Amarela), cair de lado, havia acumulado 148 multas antes do acidente.

Muitos passageiros estão preocupados. Afinal, o sistema de ônibus do Rio de Janeiro piorou consideravelmente. Esses acidentes não podem ser considerados fatos isolados nem excepcionais, até porque eles se tornaram muito mais comuns.

O "novo" sistema de ônibus do Rio de Janeiro, implantado há dois anos, teve acidentes que deixaram, no total, milhares de feridos. Pelo menos 14 pessoas já morreram em acidentes envolvendo ônibus municipais do Rio, sendo 5 delas pelos chamados BRTs do Transcarioca.

Atualmente, existe um processo no Tribunal de Contas da União para verificar as irregularidades cometidas pelo processo de licitações dos ônibus do Rio.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

ÔNIBUS QUE SOCORREU FERIDOS NO RJ TEM LATARIA AMASSADA




O ônibus que socorreu os passageiros feridos no acidente na Praça Tiradentes, no Rio de Janeiro,  hoje de manhã, também não deixa de apontar mais um defeito que está marcando esse "novo" sistema implantado pela Prefeitura do Rio de Janeiro.

O veículo, um "micrão" da Viação Ideal, consórcio Internorte, aparece aqui com a lataria amassada na sua parte lateral.

Mesmo a iluminação sendo diferente, ela não se refletiria na lataria dessa maneira, se o ônibus não apresentasse lataria amassada, o que mostra o quanto o serviço de ônibus piorou e as latarias dos ônibus apresentam esse problema até mesmo em veículos semi-novos.

DOIS ACIDENTES, QUATRO ÔNIBUS E 40 FERIDOS NO RJ


 Dois acidentes aconteceram hoje de manhã em diferentes pontos do Rio de Janeiro, um no Centro do Rio de Janeiro e outro em Jacarepaguá. 40 pessoas saíram feridas, mas até o momento a Secretaria Municipal de Saúde não divulgou um boletim informando se havia feridos graves.

No centro do Rio, o acidente envolveu dois ônibus, um da Expresso Pégaso e outro da Viação Saens Peña, na altura da Praça Tiradentes, próxima à Rua da Carioca. O acidente aconteceu próximo a um restaurante que explodiu devido a um vazamento de gás, no ano passado, matando três pessoas.

 
Também nesta manhã, dois ônibus se chocaram na Estrada dos Bandeirantes, na altura de Curicica, na região de Jacarepaguá. A ocorrência, aparentemente, não teve fotos divulgadas, mas no acidente houve dez feridos.

As três fotos correspondem ao acidente causado no Centro carioca, publicadas no portal G1 e no portal do jornal O Dia.




Além desses dois acidentes, houve ainda um outro com dois ônibus em Niterói, na altura da Av. Feliciano Sodré junto à descida da Ponte Rio-Niterói, que teve 10 feridos.


terça-feira, 23 de outubro de 2012

ÔNIBUS CAI EM BARRANCO E PELO MENOS 13 MORREM


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: O trágico acidente da Auto Viação 1001, na Rio-Teresópolis apresenta, por enquanto, a controvérsia sobre se ele teria sido causado por falha humana ou técnica. Em todo caso, a ocorrência aponta para a crise causada pelo "inchaço" administrativo da empresa niteroiense, que conta com linhas demais e se divide entre a boa administração dos setores Niterói e Região dos Lagos e a péssima administração nos setores Macaé-Campos e Itaperuna-Nova Friburgo e adjacências, além da subestimação dos cuidados com a Rápido Macaense, do mesmo grupo empresarial.

A tragédia ocorre pouco depois da 1001 ser a primeira empresa com o código DETRO atingindo sete dígitos, a partir do carro RJ 108.1007.

Ônibus estava acima da velocidade permitida, diz perícia

Do Portal R7


A perícia no local do acidente do ônibus na serra Rio-Teresópolis revelou que o tacógrafo (aparelho que registra a velocidade do veículo) marcava 80km/h, ou seja, 20 km/h acima da velocidade permitida neste trecho da via. Entretanto, segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), ainda é preciso levantar mais informações sobre a velocidade.

O chefe da 4ª Delegacia da PRF, Paulo Cesar Gama da Luz, afirmou também que é preciso verificar, por exemplo, se o veículo estava com problema mecânico, como falta de freio, ou algum problema de saúde do motorista. A polícia vai investigar se o veículo estava sem freio ou se o motorista, que está entre os mortos, passou mal e causou o acidente.

— As primeiras informações são de que o veículo estava descendo piscando o farol, indicando aos outros motoristas que estava com algum problema. Mas, ainda há muito para se investigar. Esse local não é de grandes acidentes, ainda mais dessa proporção.

Antes de despencar no precipício, o ônibus bateu no carro de um casal, que subia a serra. De acordo com a técnica de enfermagem Sônia Maria Rodrigues, ela e o marido seguiam para Teresópolis quando o carro foi atingido.

— Foi tudo muito rápido. Parecia uma ultrapassagem. O ônibus invadiu nossa pista e, quando ele estava voltando para a pista dele, a traseira atingiu nosso carro. O ônibus não parecia estar desgovernado. Meu marido virou o carro rapidamente para perseguir o ônibus, porque nós pensávamos que ele teria fugido. Não vimos que ele tinha caído na ribanceira.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

ÔNIBUS EM CIRCULAÇÃO PEGA FOGO EM CURITIBA


Um ônibus com motor traseiro pegou fogo na altura do bairro de Cristo Rei, em Curitiba, às 9 horas de hoje.

O motorista do ônibus informou à polícia que o incêndio começou em um dos pneus do ônibus, e depois o fogo se espalhou por todo o veículo, depois que ele estacionou junto a uma calçada.

O fogo atingiu a rede elétrica, que teve que ser interrompida. Os passageiros tiveram que fugir rapidamente, pulando a catraca e saindo pela porta da frente, porque as portas de trás foram travadas com o incidente.

Os passageiros haviam sido advertidos pelo motorista e pela cobradora do ônibus, que sentiram um forte cheiro de queimado dentro do veículo. O ônibus não tinha idosos nem crianças, e os passageiros saíram sem demonstrar qualquer susto. Ninguém se feriu.

O extintor de incêndio do ônibus foi utilizado e o Corpo de Bombeiros foi chamado para o local, na Rua Padre Germano Mayer, na altura das esquinas com as ruas do Herval e Francisco Alves Guimarães. O trânsito da rua foi bloqueado. Uma hora e meia depois do incêndio, só houve liberação do trânsito em meia pista.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

ACIDENTE ENVOLVE DOIS ÔNIBUS EM CURITIBA


Um acidente de ônibus ocorrido ontem em Curitiba foi registrado por câmeras da prefeitura da capital paranaense.

Dois ônibus se envolveram numa batida, que também envolveu uma motocicleta. Foi no centro de Curitiba, no cruzamento entre a Avenida Doutor Muricy com a Rua Cruz Machado. 11 pessoas saíram feridas, sem gravidade.

A colisão ocorreu com dois ônibus do tipo Ligeirinho, um da linha 607 Colombo / CIC e outro da linha 307 Bairro Alto-Santa Felicidade. Um dos ônibus teria ultrapassado o sinal vermelho e atingido a moto e o outro ônibus.

O acidente, ocorrido às 6:30, fez o trânsito dos dois logradouros ser desviado para outros acessos mais próximos. Todos os feridos já saíram do hospital.

Uma hora depois, outro acidente ocorreu na mesma terça-feira 16, entre um ônibus e um automóvel, na Rua Luciano Carvenalli, deixando uma vítima, ferida sem gravidade.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

ACIDENTE ENVOLVE DOIS ÔNIBUS NO RJ E FERE 60


Na manhã de hoje, um acidente envolveu dois ônibus da Auto Viação Bangu e uma van, numa batida ocorrida na Rua Alberico Diniz, paralela à Av. Marechal Fontenelle, em Sulacap, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

No acidente, 61 pessoas saíram feridas, sendo o motorista de um dos dois ônibus - ambos midis - em estado grave, por ter ficado preso às ferragens do seu veículo.

Bombeiros se dirigiram ao local e socorreram todas as vítimas. Segundo informações divulgadas pela assessoria do Corpo de Bombeiros, os feridos foram encaminhados para os hospitais Salgado Filho, no Méier, Albert Schweitzer, em Realengo e Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

A área do acidente é um local de grande movimento, e o incidente aconteceu no sentido para Vila Valqueire da rua, cuja área serve de ligação entre Realengo e Campinho (bairro da região de Madureira).

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

ÔNIBUS DO RIO DE JANEIRO CIRCULAM SUJOS E COM LATARIA AMASSADA


A cada dia o atual sistema de ônibus adotado no Rio de Janeiro mostra suas terríveis falhas e desastres.

A situação é tão grave que os problemas não atingem as empresas que haviam tido irregularidades, mas até mesmo as empresas que circulam na Zona Sul.

São ônibus que circulam sujos, com a graxa riscando o ônibus e vários veículos, inclusive os mais novos, circulam com a lataria amassada.

Numa ronda pelas ruas do Rio de Janeiro, no decorrer de ontem, nas avenidas Francisco Bicalho, Rodrigues Alves, Pres. Vargas, Rio Branco, além da Rua Araújo Porto Alegre, Estrada dos Bandeirantes e nos entornos da Cidade de Deus e Rio Centro, vários ônibus apresentaram tais problemas.

Na pesquisa feita, as empresas com ônibus circulando com as latarias amassadas observadas, todas com mais de um carro (pelo menos dois), são: Viação Madureira Candelária, Transportes Santa Maria, Viação Redentor, Transportes Futuro, Transportes São Silvestre, Transportes Estrela Azul, Transportes Vila Isabel, Transurb, Viação Saens Peña, City Rio Rotas Turísticas, Transportes Campo Grande, Real Auto Ônibus, Rodoviária A. Matias, Viação Rubanil, Transportes América, Rio Rotas Transportes e Turismo, Empresa de Viação Algarve, Viação Verdun e a mais comum delas, Expresso Pégaso.

Observa-se também que mesmo os ônibus considerados "especiais", como o Marcopolo Viale com motor traseiro da City Rio e o Neobus Mega BRS da Transilitorânea apresentaram aspecto sujo e com lataria amassada em vários carros. A Rubanil e Madureira Candelária apresentaram lataria amassada até nos carros da Mascarello Gran Via, comprados há alguns meses.

Também se observou rachaduras em pára-choques e até nas latarias de ônibus da Transurb e Saens Peña,  antes conhecidas pela sua renovação de frota rápida. Um ônibus Mega BRS da Translitorânea também circulou sem parte da borracha de proteção na porta de desembarque.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

ACIDENTES DE ÔNIBUS EM SÃO PAULO E RIO DE JANEIRO


Três acidentes envolvendo ônibus aconteceram ontem e anteontem, dois deles em São Paulo e um no Rio de Janeiro.

No último domingo, um ônibus da Viasul Transportes Urbanos teve o eixo traseiro quebrado, se deslocando para a frente. O acidente ocorreu na Vila Industrial, bairro da Zona Leste da capital paulista. O acidente fez o ônibus ficar inclinado, obrigando alguns passageiros a sair pela janela de emergência


Ontem foi a vez de um micro-ônibus da Cooperativa Cooper Líder invadiu um condomínio no bairro de Jabaquara, também na capital paulista, na manhã de ontem. O motorista teria perdido a direção e saiu ferido no acidente, sem gravidade.

No Rio de Janeiro, também ontem, um ônibus da Viação Rubanil, com ar condicionado e considerado um dos carros semi-novos da empresa, invadiu uma casa na Avenida Monsenhor Félix, na altura de Irajá.
Neste acidente, o motorista também teria perdido a direção, enquanto o ônibus se dirigia à casa. O motorista, o cobrador e uma passageira saíram feridos, sem gravidade.

Tudo isso faz pensar a respeito desse modelo de transporte coletivo que é hoje adotado em muitas capitais. O poder das secretarias de transporte, em vez de fiscalizar e disciplinar, tira a autonomia operacional das empresas e deixa os passageiros e rodoviários em sérios e diversos riscos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...