sexta-feira, 28 de setembro de 2012

JUSTIÇA DECRETA FALÊNCIA DA BUSSCAR


Na tarde de ontem, o juíz Maurício Cavallazi Povoas, da 5ª Vara Cível de Joinville (SC), decretou a falência da fabricante de ônibus Busscar, que tinha mais de 60 anos de existência, incluindo o tempo em que, até 1990, era conhecida como Carrocerias Nielson, empresa sediada naquele município catarinense.

Foi determinado o prazo de 90 dias anteriores à data de protocolo da ação de recuperação judicial na Justiça como data inicial da falência. A empresa teve que suspender todas as atividades, através das quais tentava manter a produção de ônibus como tentativa de superar a crise financeira.

O Instituto Rainoldo Uessler, especializado em auditorias, pérícias, reavaliações e administração de inventários, foi designado para cuidar da administração judicial da falência, tornando-se responsável por todos os compromissos relacionados, além da apresentação de todos os relatórios necessários.

O juíz Maurício Povoas também decretou o lacre das empresas do grupo Busscar: Busscar Ônibus S.A., Bus Car Investimentos e Empreendimentos Ltda., Buscar Comércio Exterior S.A., Lambda Participações e Empreendimentos S.A., Nienpal Empreendimentos e Participações Ltda.. A Tecnofibras HVR Automotiva S.A. e a Climabuss Ltda. foram autorizadas a continuar funcionando provisoriamente, pelo prazo de um mês.

A decisão da falência foi tomada depois da realização da Assembleia Geral de Credores, depois de duas sessões interrompidas em 22 de maio passado e no último dia 25. Não houve aprovação unânime do Plano de Recuperação da Busscar, o que inviabilizou esse projeto, que livraria a empresa catarinense da falência.

A Busscar pode recorrer da sentença judicial. Advogados da empresa já estudam a possibilidade de entrar com essa ação e evitar o processo de falência, constituindo na última esperança de haver possibilidade de recuperação da empresa, que não é nula.

A Busscar surgiu em 1946 como Carrocerias Nielson, sempre com sua sede em Joinville. Tornou-se famosa pela família de ônibus rodoviários intitulada Diplomata, iniciada em 1961 e encerrada em 1990. Era considerada uma das mais prestigiadas fabricantes de ônibus do Brasil. O nome Nielson deixou de ser publicamente difundido em 1990 e juridicamente denominado em 1998, substituído, em ambos os casos, pelo nome Busscar.

Há 25 anos a empresa havia retomado a fabricação de ônibus urbanos desativada em 1961, com a linhagem intitulada Urbanus (depois rebatizada para Urbanuss). Mas, curiosamente, em Santa Catarina alguns ônibus Diplomata chegaram a ser adaptados para a estrutura de ônibus urbanos.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

OUTRA CONFUSÃO RESULTANTE DA PADRONIZAÇÃO VISUAL


Quem observa esse ônibus, dentro do contexto da padronização visual, pode achar que se trata de um ônibus da Viação Fortaleza que, entrando na Rua Álvares de Azevedo, se dirige normalmente para a Rua Gavião Peixoto no percurso da linha 53 Santa Rosa / Centro (via Praia de Icaraí).

No entanto, se trata de um ônibus da Expresso Miramar, também do consórcio Transoceânica, "cortando" caminho para ir à sua garagem na Av. Rui Barbosa (antiga Estrada da Cachoeira), preferindo seguir pela Rua Gavião Peixoto em vez de ir até o Canto do Rio (Rua Joaquim Távora), por conta de algum congestionamento.

Desse modo, dá para notar o quanto esse "baile de máscaras" que se tornou o sistema de ônibus do Grande Rio (Niterói e Rio de Janeiro, pelo menos) causa transtornos e não traz vantagem alguma, seja de caráter técnico, seja relacionado ao interesse público.

Há quem goste - e defenda com certa arrogância e até intolerância - dessa padronização visual, de ver as empresas diferentes exibindo as mesmas cores. Mas os passageiros é que sentem os prejuízos dessa medida, um problema lamentavelmente ignorado para quem não vive as realidades das ruas. E, infelizmente, há uma certa "elite" de busólogos que só preferem observar os ônibus de fora.

domingo, 23 de setembro de 2012

ÔNIBUS ENGUIÇADOS E COM LATARIA AMASSADA NO RIO DE JANEIRO


Hoje, no Rio de Janeiro, vários ônibus apresentaram problemas no entorno das avenidas Brasil e Rodrigues Alves.

Além dos poucos carros em circulação, obrigando as pessoas a esperar muito tempo por um ônibus, para cada bairro da Zona Norte do Rio - mas a espera também se notou nos ônibus da Real Auto Ônibus para a Zona Sul, no ponto em frente à Rodoviária Novo Rio - , vários tinham a lataria amassada.

É o caso de vários carros da City Rio Rotas Turísticas, modelo Marcopolo Torino 2007, da Transportes América, modelo Mascarello Gran Midi, da Transportes Campo Grande e Expresso Pégaso,  em vários modelos de carrocerias, e até mesmo um carro mais novo da Viação Rubanil, Mascarello Gran Via 2011, circulou com a lataria bastante amassada.

Além disso, foram vistos ônibus enguiçados na Av. Brasil, como um carro da CAIO Apache VIP II, da Transportes Campo Grande, na altura de Parada de Lucas, sentido Campo Grande, e um ônibus da Marcopolo Torino 2007 alongado da Real Auto Ônibus, na altura de Manguinhos, sentido Centro.

Da frota intermunicipal, notou-se a desativação da linha 005 Mesquita / Praça Mauá da Turismo Trans1000. A empresa teria vendido boa parte de sua frota para pagar parte das despesas e aproveitou as obras no terminal Américo Fontenelle para desativar a linha 005 (a empresa põe e tira as linhas de circulação como quiser) e jogar a demanda para a 478 Mesquita / Central.

A Transmil, por isso, anda circulando com a frota bastante reduzida. Vários carros com ar condicionado e outros de modelos mais antigos foram vendidos. Além disso, a linha 651 Mesquita / Pavuna também teria se desativado, "absorvida" pelo ramal da linha 481 Mesquita / Melhoral.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

ÔNIBUS APRESENTAM INFESTAÇÃO DE BARATAS NO RIO



COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: O "novo" modelo de sistema de ônibus do Rio de Janeiro, inspirado na ditadura militar, se baseia não na transparência do serviço de ônibus - já que as empresas têm sua imagem camuflada, dificultando o reconhecimento pelo passageiro comum - , mas na concentração de poder das secretarias de transporte.

Isso faz com que as empresas de ônibus deixem de prestar um bom serviço, já que são desprovidas de autonomia operacional, tamanho o poder do secretário de transportes, que se transforma num dublê de administrador do sistema de ônibus.

Ônibus apresentam infestação de baratas no Rio

Do Portal G1, sob colaboração dos internautas Antônio Rodrigues de Farias e Luís Eduardo Losada Santiago

Baratas invadiram dois ônibus de linhas diferentes na cidade do Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (19). Leitores que estavam nos veículos filmaram os insetos e enviaram as imagens ao VC no G1.

O internauta Antônio Rodrigues de Farias estava em um ônibus que ia sentido Rio das Pedras quando viu a infestação. “Embarquei no ônibus por volta das 12h, no Barra Shopping. O veículo estava cheio de baratas de todos os tamanhos. Os passageiros não podiam se sentar. Uma total falta de respeito com a dignidade dos cidadãos”, relata.

Já o estudante de engenharia Luis Eduardo Losada Santiago percebeu a presença das baratas quando embarcou em um ônibus da linha 323, que cobre o caminho de Bananal a Castelo, no Centro do Rio. “Foi a primeira vez que presenciei uma situação dessas. Os passageiros tiveram que viajar de pé”, conta.
Nota da redação: em nota, a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) afirma que vai notificar os consórcios responsáveis pelas duas linhas pela irregularidade. Também serão realizadas novas vistorias nos carros, “visando verificar as condições operacionais, segurança e limpeza do veículo”.

O valor da multa para veículos que são flagrados com falta de limpeza externa e interna é de R$ 295,76, segundo a secretaria.

O departamento ainda informa que “o cidadão pode denunciar as irregularidades dos ônibus e de todos os demais modais de transporte do sistema municipal através do Portal de Teleatendimento da Prefeitura, 1746. É fundamental que seja informado o número da ordem e placa do veículo, linha, data, hora e local”.
A Transportes Paranapuan, responsável pela linha 323, diz lamentar "o inconveniente causado aos seus clientes e informa que todos os seus veículos passam por limpeza e higienização diária".

A empresa afirmou em nota que "a desinsetização mais recente, ocorrida nesta semana, foi realizada antes mesmo de completar quatro meses da última aplicação, como forma de reforço." A Paranapuan colocou à disposição a Central de Relacionamento com o Cliente: 0800-886-1000 (ligação gratuita).

Já o Grupo Redentor lamenta "pelo inconveniente" e diz que "a desinsetização em nossos ônibus, que é exigida pelo poder concedente a cada seis meses, ocorre de três em três meses em todos os veículos da empresa". 

sábado, 15 de setembro de 2012

O QUE A PADRONIZAÇÃO VISUAL PODE FAZER PARA CONFUNDIR...


Esta foto, no cruzamento da Rua Dr. Paulo César com a Av. Roberto Silveira, na esquina da Av. Marquês do Paraná, em Niterói, dá uma boa noção do que a chamada padronização visual nos ônibus pode fazer para confundir as pessoas.

É bom deixar claro que, no dia a dia, muitas pessoas ficam ocupadas demais para "examinar sem pressa" o ônibus que vai pegar e é ilusão que todo mundo "receba" sempre o ônibus vendo o veículo pela dianteira.

Muita gente tenta pegar um ônibus vendo-o na lateral, de longe, porque tem pressa e nem todas as linhas possuem uma frota grande, obrigando muitos a correrem para o primeiro ônibus que virem, mesmo à distância.

Esta foto é ilustrativa. O desavisado poderia imaginar que um carro da Viação Fortaleza, na linha 57 (Santa Rosa / Centro, via Fagundes Varela), cortou pela Paulo César - geralmente ele vai pela Rua Gen. Pereira da Silva antes de dobrar a Roberto Silveira - por alguma eventualidade e se dirige à pista lateral da avenida para dobrar a Rua Miguel de Frias em direção à Fagundes Varela.

No entanto, o ônibus em questão é da Santo Antônio Transportes, linha 45 (Cubango / Centro), que havia pego um caminho alternativo, já que normalmente passa pela Paulo César direto, talvez para se dirigir sem problemas para a pista lateral da Av. Marquês do Paraná, exclusiva para ônibus.

A pintura padronizada do consórcio Transoceânica permitiu essa "pérola", que a elite busóloga não tem o menor problema de discernir, mas os cidadãos comuns, principalmente os mais pobres, têm muita dificuldade de identificar.

São transtornos assim que a gente questiona, mas nem todo mundo gosta. Afinal, a "novidade" do visual uniformizado, desse "baile de máscaras" que se tornou o sistema de ônibus de Niterói e do Rio de Janeiro, deslumbra alguns, sobretudo aqueles que querem mamar nas tetas do Estado e que por isso fazem defesa até do serviço irregular da Turismo Trans1000.

Só que, nas ruas, a realidade é bem outra do que aquela que a ilusão dos escritórios tenta inventar.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

ÔNIBUS CONVENCIONAIS DO RJ ADOTAM "DUPLA FUNÇÃO"


Que a desorganização do sistema de ônibus do Rio de Janeiro mostra uma decadência gritante, isso é verdade.

Mas quem imagina que a coisa parou no "baile de máscaras" da padronização visual dos ônibus, nos veículos enguiçados aos montes, nos acidentes trágicos que envolvem até BRTs, porta com defeito no BRS da Translitorânea e nos males súbitos sofridos pelos motoristas, ainda não viu a tragicomédia completa.

Pois agora, não bastassem os ônibus novos adquiridos sem o banco do cobrador, como certos carros da Mascarello da Real Auto Ônibus e os da Marcopolo Torino 2007 da Viação Ideal, a pretexto de substituírem micrões que tinham essa limitação, agora são os ônibus que possuem até banco de cobrador, mas que não contam com o seu responsável, impondo a dupla função para o motorista.

O que é pior. As denúncias apontam que o "efeito Gasparzinho" - gozação para o fato de um banco de cobrador ficar vazio - ocorre geralmente de noite, na maioria das vezes em linhas destinadas ao subúrbio do Rio de Janeiro, incluindo a Zona Oeste, seguindo a "lógica" que já acontece com os ônibus para a Baixada Fluminense.

Com isso, os passageiros sofrem mais vezes o risco que a dupla função já oferece para os motoristas durante o período diurno, em céu claro. Isso porque, com o céu escuro e a cidade mais vazia, aumentam os riscos de ocorrência de assaltos, sobretudo na lentidão do embarque, e de acidentes de trânsito.

Nesse horário, já é arriscado, mesmo em condições normais, um motorista trabalhar durante a noite, mesmo acompanhado de seu parceiro cobrador. Com a dupla função, o motorista, já bastante estressado e apreensivo - pode ser assaltado a qualquer momento ou sofrer algum acidente no caminho - , ainda precisa acumular suas atenções tanto para a condução do veículo quanto para a recepção do dinheiro da tarifa e a eventual distribuição do troco.

Isso faz uma diferença bastante negativa no percurso do ônibus, transformando a simples volta para casa no período noturno em momentos de muita angústia e preocupação.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

SUSPEITO SEQUESTRA ÔNIBUS COM CRIANÇAS E USA MULHER COMO ESCUDO EM TIROTEIO EM POSTO MÉDICO


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Dois bandidos invadiram um ônibus e fizeram reféns, na altura de Costa Barros, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Houve tiroteio, um dos bandidos foi morto e outro correu para um ônibus de excursão, obrigando o motorista a conduzir o veículo até o Morro da Pedreira, onde fugiu depois de liberar os reféns. Uma refém ferida no tiroteio segue em estado grave num hospital.

Suspeito sequestra ônibus com crianças e usa mulher como escudo em tiroteio em posto médico

Do Portal R7

Bandido foi morto e outro escapou para o morro da Pedreira

Um ônibus de excursão com várias crianças foi sequestrado por um suspeito na zona norte do Rio de Janeiro, nesta terça-feira (4). De acordo com a Polícia Militar, o motorista foi obrigado a conduzir o veículo até o morro da Pedreira, em Costa Barros, onde o bandido desceu.

A perseguição ao bandido começou quando ele e um comparsa despertaram suspeita de policiais na avenida Automóvel Clube. Eles estavam em um Gol efugiram em direção a um PAM (Pronto Atendimento Municipal), em Coelho Neto, na zona norte.

A dupla invadiu a unidade e atirou contra os policiais, fazendo uma mulher refém. Ela foi baleada no abdome, socorrida pelos médicos do posto e em seguida levada para o Hospital Carlos Chagas. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o estado dela é grave.

Houve cerco policial ao PAM e um suspeito foi atingido e morreu. Outro homem conseguiu fugir e abordou o ônibus de turismo. Os professores conseguiram despistar as crianças que nada perceberam, como explicou o comandante do patrulhamento de área, coronel Rogério Leite.

 — O marginal ao fugir para o PAM usou uma senhora como escudo. Houve tiroteio e ela foi baleada. Esse suspeito [o que sobreviveu] entrou no ônibus com crianças de 10 a 12 anos e obrigou que o motorista o levasse até a comunidade. As crianças, segundo o motorista, não perceberam a situação, apenas as professoras.

Permaneceram no PAM de Coelho Neto apenas os funcionários administrativos, que prestam informações à PM. As consultas foram interrompidas e serão reagendadas. A secretaria pede que os pacientes que tenham consultas marcadas para esta terça-feira no PAM de Coelho Neto não se dirijam ao local e aguardem contato das equipes da unidade informando nova data.

A ocorrência foi registrada na Delegacia de Marechal Hermes (30ª DP).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...