segunda-feira, 27 de agosto de 2012

CERIMÔNIA RELEMBRA TRAGÉDIA COM BONDINHO DE SANTA TERESA NO RIO


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Numa época em que a busologia está em crise por conta de alguns busólogos fanáticos por Eduardo Paes e Sérgio Cabral Filho, uma tragédia envolvendo outro tipo de transporte, o bonde de Santa Teresa, bairro do Centro do Rio de Janeiro, completou um ano.

Seis pessoas morreram e mais de 50 ficaram feridas no acidente em que um bonde estava com problemas no freio e, descendo em alta velocidade, saiu dos trilhos e bateu em um poste. Entre os mortos estava o motorista que, anos atrás, havia dado entrevista enquanto dirigia o bonde para um telejornal.

46 pessoas foram indenizadas, várias delas moradoras de cidades de outros Estados brasileiros. Os indenizados incluem parentes de mortos e as vítimas feridas. O bonde era muito frequentado por turistas. O serviço de bondes foi suspenso depois do trágico acidente. Uma placa foi inaugurada em homenagem às vítimas e um protesto, com uma réplica de um bonde, pedia a volta do serviço no bairro.

Cerimônia relembra tragédia com Bondinho de Santa Teresa no Rio

Do Portal Terra

Um ato ecumênico na Igreja Anglicana do bairro Santa Teresa, no Rio, reuniu moradores e frequentadores para lembrar o dia 27 de agosto de 2011, quando um acidente com o bondinho deixou seis mortos e 53 feridos.

Amanhã, diversos atos estão programados em continuação das homenagens. Pela manhã será celebrada uma missa na Igreja da Matriz. Em seguida, haverá uma manifestação no Posto 9, em Ipanema. No final da tarde, mais um ato público, no Largo dos Guimarães, cobrará uma solução para o caso. Na segunda-feira, dia em que a tragédia completa oficialmente um ano, haverá a inauguração de uma placa em homenagem às vítimas e a entrega de um dossiê ao Ministério Público do Estado pedindo o indiciamento do secretário de Transporte, Julio Lopes.

A composição descarrilou e tombou quando descia a Rua Joaquim Murtinho, na altura do número 273, perto do Largo do Curvelo. Quatro pessoas morreram na hora. A quinta vítima fatal chegou a ser socorrida, mas morreu ainda no hospital. A sexta vítima morreu no dia 5 de setembro, após passar nove dias internada, com traumatismo craniano. O condutor do bonde, Nelson Corrêa, que fazia aniversário no dia do acidente, também morreu no local.


Na ocasião, a perícia constatou diversas falhas técnicas na composição, inclusive problemas nos freios. Desde então, a circulação dos bondes antigos foram suspensas no bairro, que ainda aguarda uma solução para o caso. A Companhia Estadual de Engenharia de Transportes e Logística (Central), responsável pelo sistema, calcula que 14 novos veículos comecem a circular no bairro no primeiro semestre de 2014. Contudo, batalhas judiciais atrasam licitações. Os novos veículos - que custarão R$ 49 milhões - terão capacidade para transportar 24 passageiros. Percorrerão um trajeto de 14 quilômetros, com início na Rua Francisco Muratori (na Lapa) e término no Silvestre. Por questão de segurança, os bondes não terão estribo.

Um comentário:

  1. Aquilo, esse pessoal quer descaracterizar os bondes, de preferência, privatizando. Convenhamos, com a experiência nos trens/metrô/barcas (fora as empresas de energia elétrica no verão), trocaria SEIS por MEIA DÚZIA.

    OFF: o que eu vi na comunidade "Busólogos do RJ" do Orkut começa a me preocupar com a decisão de estudar e cogitar a introdução do modelo curitibano (para ser modelo de Vitória e Região Metropolitana que é a mesma "receita"). Com isso, pinturas históricas e tradicionais como da Jurema e seus bruquetes, ao meu ver, estão ameaçadas.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...