sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

ACIDENTES DE ÕNIBUS NA REGIÃO OCEÂNICA DE NITERÓI


Começa a repetir em Niterói a rotina de sérios acidentes de ônibus que o modelo tecnocrático não consegue prevenir. E que já causou vários feridos e até mortos em Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte, só para citar algumas capitais.

Dois acidentes ocorreram este mês na Região Oceânica. O primeiro deles com 20 feridos, outro com pelo menos quatro. Todos envolvendo ônibus do consórcio Transoceânica, "montado" para "amarrar" empresas que servem os bairros do Centro Sul e da Região Oceânica de Niterói.


No primeiro deles, ocorrido no último dia 09, dois ônibus da Viação Pendotiba bateram entre si, fazendo com que o motorista de um dos ônibus ficasse preso nas ferragens e tivesse que ser socorrido pelos bombeiros lotados em Itaipu, São Gonçalo e Maricá que foram chamados para o local.

Os passageiros levemente feridos foram atendidos no local, nas ambulâncias do Corpo dos Bombeiros. Já os passageiros com ferimentos graves foram encaminhados para o Hospital Azevedo Lima, no bairro do Fonseca. O trânsito teve que ser parcialmente interrompido, na altura da Av. Éverton Xavier, antiga Av. Central. Os dois ônibus são responsáveis pela linha 46 Várzea das Moças / Centro.

Já na manhã de hoje o acidente ocorreu na Estrada Francisco da Cruz Nunes, sentido Itaipu, próximo ao bairro de Cafubá, região de Piratininga. Um ônibus da Santo Antônio Transportes, linha 54 Sapê / Piratininga, bateu em um veículo da Viação Pendotiba, na mesma linha 46. Bombeiros lotados em Charitas foram chamados para atender aos quatro feridos, levados também para o Azevedo Lima.

domingo, 23 de dezembro de 2012

LIGEIRINHO INVADE ESTACIONAMENTO E DEIXA 12 FERIDOS EM CURITIBA


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Mais um acidente, com vários feridos, envolve ônibus de Curitiba, numa época de profunda crise no sistema implantado por Jaime Lerner durante a ditadura militar.  E desta vez o ônibus é um "piso baixo" adquirido há pouco tempo, na tentativa de salvar o decadente sistema de ônibus da capital paranaense, com uma tendenciosa renovação de frota que só gerou mais dívidas e agravou o colapso que o sistema já vive.

Ligeirinho invade estacionamento e deixa 12 feridos no Rebouças

Do Jornal Gazeta do Povo

Doze pessoas ficaram feridas em um acidente no bairro Rebouças, em Curitiba, em que um ônibus ligeirinho da linha Barreirinha-São José dos Pinhais colidiu contra uma caminhonete Land Rover e invadiu o estacionamento de uma loja de materiais de construção, por volta das 11h30 deste domingo (22). Onze ocupantes do ônibus e o motorista da caminhonete tiveram de ser encaminhados para hospitais. Segundo o Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), as vítimas tiveram ferimentos leves e não corriam risco de morte.

A colisão ocorreu no cruzamento da Avenida Silva Jardim com a Rua Conselheiro Laurindo, na esquina em que se localiza a Cassol Centerlar. O ônibus seguia pela Conselheiro Laurindo quando bateu contra a caminhonete, que vinha pela Silva Jardim.

Após a batida, o ligeirinho derrubou a grade da loja de materiais de construção e atravessou o estacionamento, colidindo e arrastando carros que estavam parados. Seis veículos foram atingidos pelo ligeirinho, segundo o BPTran. O ônibus chegou a cruzar um canteiro do estacionamento, destruindo postes de iluminação e parou a poucos metros do prédio.

“Foi uma colisão transversal, que fez com que o ônibus perdesse o controle e invadisse o estacionamento. Há câmeras de monitoramento no cruzamento, que vão poder apontar o que provocou a ocorrência”, disse o subtenente José Anísio Cordeiro, do BPTran. Testemunhas afirmam que a Land Rover furou o sinal vermelho.

Entre os veículos atingidos pelo ligeirinho estão um Fiat Uno e um Chevrolet Meriva, que ficaram destruídos, além de um Honda Cith, um Ford Fox e um Ford Fiesta, que também sofreram danos.

As causas do acidente serão investigadas pela Delegacia de Delitos de Trânsito. Como não houve vítimas fatais, o Instituto de Criminalística não foi acionado para periciar o local do acidente. O BPTran fez um croqui, apontado a dinâmica do acidente. A polícia orientou os proprietários dos veículos a retirarem o boletim de ocorrência no Batalhão dentro de cinco dias, para que que possam tomar providências legais quanto aos prejuízos.

Vítimas

Foram necessárias quatro ambulâncias para socorrer as vítimas. Segundo o BPTran, todas sofreram ferimentos leves e não corriam risco de morrer. Entre os feridos, havia duas crianças e dois adolescentes.

Para o Hospital Evangélico foram levados o motorista do ônibus, de 64, um homem de 64 anos e outro 28 anos, uma mulher de 58 anos e uma adolescente de 14 anos. Para o Hospital do Trabalhador, foram encaminhados um homem de 65 anos, uma menina de 4 e uma de 3 anos, e uma adolescente de 14 anos. Um homem de 65 anos, um de 28 anos e uma mulher de 51 anos foram socorridos pelo Hospital Cajuru.

Prejuízos

Após o acidente, o sistema de som da Cassol Centerlar anunciou o acidente. Dezenas de pessoas se aglomeraram no estacionamento, para acompanhar o socorro da vítimas e o resultado do colisão múltipla. Entre os proprietários dos veículos atingidos pelo ônibus, o sentimento era de incredulidade.

A administradora Sandra Batiston, de 42 anos, foi à loja com o marido, para cotar preços de azulejos. Ela é dona do Fiat Uno que teve a frente destruída e sofreu perda total em função do acidente. “Não vou querer ouvir falar de azulejo nunca mais”, disse. Bastante emocionada pela perda material, ela ainda procurava entender o que tinha acontecido. “O único alívio é que meus filhos não estavam no carro. A gente fica sem chão, porque teoricamente meu carro estava em um lugar seguro”, disse. O Uno não tinha seguro.

Proprietário de um Fox, o auxiliar de montagem Jéssio Roberto procurava informações para tentar minimizar as perdas. “Vim fazer compras e saí no prejuízo. Agora é avaliar quem vai se responsabilizar por tudo isso”, afirmou.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

ÔNIBUS ATROPELA E MATA PEDESTRE EM NITERÓI


Um ônibus de piso baixo da Viação Araçatuba (Transnit) atropelou e matou um pedestre no Terminal João Goulart, no centro de Niterói. Da carroceria Marcopolo, modelo Viale BRT, o veículo operava na ocasião na linha 47 Canto do Rio / Centro.

Seguidores do Twitter haviam escrito que é comum haver pedestres atravessarem fora das plataformas do terminal para ganhar tempo. Nas tardes ocorre maior movimento de pessoas. O pedestre teria sido um desses transeuntes.

No entanto, o Terminal João Goulart não possui estruturas que possibilitem acessos mais rápidos entre uma plataforma e outra. Os passageiros precisam se dirigir para o corredor central no interior do terminal, que costuma ser congestionado de pessoas, para se deslocar de uma plataforma para outra.

O trânsito ficou em retidão no local e os veículos foram deslocados para a Rua Saldanha Marinho. Agentes da Nittrans foram chamados para dar orientação ao trânsito congestionado.

PADRONIZAÇÃO VISUAL DOS ÔNIBUS DO RIO TERIA SIDO FEITA PARA FAVORECER SOGRO DE EDUARDO PAES, DIZEM MENSAGENS DAS REDES SOCIAIS


Correm mensagens nas redes sociais, inclusive o Facebook, dizendo que a padronização visual adotada nos ônibus do Rio de Janeiro, além de não apresentar qualquer benefício de ordem técnica nem relacionado ao interesse público, foi feito para favorecer o sogro de Eduardo Paes, o empresário Álvaro Rodrigues Lopes.

Ele é empresário de cinco empresas em circulação no Rio de Janeiro: Algarve, Andorinha, City Rio, Rio Rotas e Translitorânea. O controle dele envolve todos os quatro consórcios formados pela "licitação" de 2010: Intersul (Translitorânea), Internorte (City Rio), Transcarioca (Translitorânea) e Santa Cruz (Algarve, Andorinha, City Rio e Rio Rotas).

Nos últimos meses, dois ônibus das empresas envolvidas foram danificados em sérios acidentes na Av. Brasil. Um deles causou o mais trágico acidente desde a implantação do modelo de sistema de ônibus de Eduardo Paes, da City Rio, que matou cinco pessoas e feriu várias outras num ponto de ônibus na altura de Benfica. Já na Zona Oeste, um ônibus da Algarve havia caído deixando vários feridos.

A padronização visual teria sido usada como forma de acobertar o mau desempenho destas empresas, além de confundir os passageiros com o visual unificado adotado para diferentes empresas. Desse modo, não existe diferença visual entre uma Andorinha e uma Bangu, entre uma Translitorânea e uma Real Auto Ônibus, uma City Rio e uma Verdun.

A padronização visual foi aprovada na surdina, com Eduardo Paes impondo a medida e a sua bancada aliada na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ) apenas aprovando "legislativamente" a medida, feita sem qualquer tipo de consulta popular.

Atualmente, está em processo no Judiciário carioca uma representação contra a formação de consórcios das empresas de ônibus no Rio de Janeiro.


sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

DESCASO COM INSEGURANÇA INFLUIU EM ACIDENTE NO RIO


Um acidente com dois ônibus aconteceu ontem à noite, pouco tempo após o violento temporal que atingiu o Grande Rio. Foi no bairro de Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio de Janeiro, e envolveu dois ônibus do consórcio Transcarioca, um da Viação Redentor da linha 636 Saens Peña / Gardênia Azul, que ia em direção ao Méier, e outro da Transportes Estrela, da linha 363 Vila Valqueire / Praça 15, que ia em direção a Cascadura.

A chuva fez com que os semáforos do local, cruzamento entre as ruas Daniel Carneiro e Adolfo Bergamini, ficassem com o sinal amarelo piscando. Isso teria desnorteado os motoristas, que se colidiram. Um dos coletivos ainda havia provocado outro acidente com dois veículos e invadiu a entrada de um supermercado próximo.

O acidente provocou estragos nos ônibus, nos postes e nos carros. A via foi interditada por algumas horas. As vítimas, 30 feridos, foram internadas nos hospitais Salgado Filho (Méier), Souza Aguiar (Centro) e Getúlio Vargas (Penha).

Segundo técnicos da Cet-Rio, o sinal amarelo piscando é ligado à noite como indicativo de atenção, já que a área, também conhecida como "Esquina da Morte", é também considerada perigosa pela ocorrência de assaltos. O sinal indica que os motoristas deveriam parar antes de cruzar a via.

Mas esse paliativo não resolve, porque o melhor seria um bom policiamento no local para resolver o problema da criminalidade. A ação do tráfico na região é muito intensa, e muitos trabalhadores já sentem esse risco na volta para casa, depois de uma jornada de trabalho.

Portanto, o sinal amarelo piscando, além de não ter resolvido a coisa, piorou na medida em que provocou mais um dos inúmeros acidentes que acontecem no Rio de Janeiro e que põe em xeque - perto de ser um xeque-mate - nesse modelo antiquado de "mobilidade urbana" implantado pela Prefeitura do Rio há dois anos atrás.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

SEGUNDO ACIDENTE COM ÔNIBUS NA AV. BRASIL EM DOIS DIAS


Somos obrigados a noticiar os sucessivos acidentes com ônibus em cidades onde se implanta um modelo tecnocrático e autoritário de "mobilidade urbana" para mostrar os defeitos que esse "pacote de medidas", que inclui medidas antipopulares como dupla função de motoristas e cobradores, sobrecarga de trabalho, redução de frotas de ônibus e padronização visual das empresas de ônibus, causa.

As ocorrências, longe de ser um "rádio-leão" - jargão usado pelos busólogos que quer dizer boataria - , são fartamente difundidas pela imprensa, e que em certos casos a repercussão negativa das mesmas faz com que em certos casos haja cautela na divulgação das empresas acidentadas.

Isso pode ter acontecido no último acidente com dois ônibus entre o Realengo e Guadalupe, na Av. Brasil. Note-se que nessa área, mais ou menos na proximidade da Estrada do Camboatá - que liga Deodoro à Baixada Fluminense - , passam empresas de ônibus consideradas deficitárias, como Rio Rotas, Pégaso e Trans1000, além de outras que tentaram melhorar, como Bangu e Campo Grande, mas acabaram piorando com o "novo sistema".

O acidente recente, como mostra a foto acima, envolveu um ônibus da Vila Real, na altura de Guadalupe - o segundo acidente com ônibus noticiado pela imprensa nos últimos dois dias - que tombou após bater em um carro, na manhã de hoje, deixando cerca de 20 feridos.

São ocorrências consideradas muito graves para alguém ir na Internet dizer que está tudo bem. Afinal, ser passageiro de ônibus no Rio de Janeiro - e na Baixada Fluminense, no caso das linhas da Turismo Trans1000 - virou atitude de risco, vide os acidentes que quase sempre causam um número considerado alto de feridos, em média de 20, e em alguns casos provocou algumas vítimas fatais.

Isso já mudou até o quadro do debate entre busólogos fluminenses, antes monopolizados por uma visão antipopular por influência de um conhecido busólogo que fez atitudes lamentáveis que envolviam desde xingações racistas até blogues de calúnias e difamação, e que invadia as cidades de seus desafetos, a pretexto de tirar fotos de ônibus, para ameaçar seus discordantes.

Esse busólogo, conhecido nos bastidores, era movido pela intolerância e ganância política e tentou jogar uns busólogos mais destacados contra outros apenas emergentes, criando um conflito fratricida que abalou as redes sociais e repercutiu mal na busologia do país inteiro.

Quem pensava a favor de Eduardo Paes, Sérgio Cabral e cia. era respeitado por esse mau busólogo, mas quem pensava contra era humilhado sem dó. E mesmo visões mais objetivas como criticar a baixa demanda da linha 775D Charitas / Humaitá ou o péssimo serviço da Turismo Trans1000 não era poupado pelo mau busólogo, seus "fakes do bem" e seus "comentários críticos".

Seu reflexo na Internet foi pequeno, mas ele fez tanto rachar os encontros de busólogos no Grande Rio quanto criou uma má impressão nos busólogos de outros Estados de que a busologia fluminense estava sendo movida pela politicagem e pelo estrelismo. E isso prejudicava até mesmo os busólogos fluminenses mais conceituados.

PADRONIZAÇÃO VISUAL FEZ ATÉ O R7 CONFUNDIR EMPRESA DE ÔNIBUS

O mau busólogo nunca foi prejudicado pelos colegas de hobby, mas foi uma discordância simples que o fez agir de forma intolerante no meio. A padronização visual nos ônibus do Rio de Janeiro alimentou essa visão intolerante, um tanto fascista, e ele havia combinado com um outro busólogo mais jovem para seduzir os busólogos mais destacados a agirem contra quem não pensava igual a ele.

Ser busólogo no RJ acabou se tornando perigoso, porque você não poderia ter opinião e devia limitar apenas a discussões pontuais e inofensivas. Chegou-se ao ponto da busologia se limitar a quem pensa igual a autoridades, empresários e tecnocratas, enquanto o passageiro de ônibus era visto literalmente feito um gado para o qual deveria seguir

Aí, sem mais nem menos, o mau busólogo e seu jovem parceirinho - que costumava, com seus fakes, adotar piadinhas pornográficas tipo "Eu sou viado" e "Quero pica", usurpando até mesmo nomes de famosos - empastelaram até uma petição digital contra a padronização visual nos ônibus cariocas e tentaram o mesmo em outra contra a Transmil.

Depois, o mau busólogo criou um blogue de "comentários críticos" que seria uma forma de "lavar roupa suja" no esgoto. Era até uma hipocrisia, porque o mesmo busólogo dizia defender o "debate sadio" e condenava a trolagem nos fóruns de busologia nas redes sociais, enquanto ele usava a identidade secreta "crítico" para clonar textos de desafetos e jogar ofensas violentas em cima.

O mau busólogo adotou procedimentos e posturas que tinham sempre um pouco de figuras como o jornalista Reinaldo Azevedo, o comediante Rafinha Bastos e o político Jair Bolsonaro, que pelos seus excessos reacionários tiveram até problemas na Justiça ou, quando muito, eram duramente criticados pela sociedade.

Mas as ocorrências tiveram que o tal "crítico" esfriasse sua raiva, já que denúncias sobre seus abusos de conduta foram enviadas até o Ministério Público e à mídia. A repercussão negativa desse "crítico" foi tal que um desafeto desse mau busólogo resolveu dar o troco e usar um pseudônimo para ridicularizá-lo, criando também outro blogue para isso.

Enquanto isso, ironicamente, um comercial de uma marca de telefonia móvel, apresentado pela atriz que entrevistou o tal mau busólogo - quando ele pertencia a uma simpática equipe que fotografava ônibus no Cachambi e nem era líder desse grupo, do qual se desligou de forma "amigável" - , mostrou uma "padronização visual" de dois times de futebol rivais, que adotariam a estampa azul.

Padronizar o visual das empresas de õnibus, para uns, é "ótimo", mas imagine padronizar os uniformes de times de futebol. Seria lindo, para eles, por exemplo, ver Flamengo e Fluminense se enfrentando exatamente com o mesmo uniforme? Será que resolveria os paliativos como botar melhores jogadores e identificar os jogadores de cada time em longínquos placares eletrônicos monitorados via satélite, para "compensar" a uniformização visual?

A padronização visual tornou-se tão desvantajosa que qualquer um confunde a empresa de ônibus. Já rola na Internet rumores de que ela foi feita para favorecer o sogro do prefeito carioca Eduardo Paes, que era dono de várias empresas, inclusive a antiga Oeste Ocidental, "transformada" em uma licitação de fachada na atual Rio Rotas.

PIMENTA NOS OLHOS DOS OUTROS É REFRESCO - O passageiro comum, pobre e atarefado, pode confundir o D53509 da Campo Grande com o D58609 da Bangu. Para certo busólogo, quem age assim é "mané". Benefício para o usuário?

Um exemplo ilustrativo foi o que o portal R7 fez, quando anunciou o acidente com a Vila Real. Mesmo o visual Internorte não impediu que a notícia relacionasse o ônibus à empresa Bangu (que tem parte da frota no consórcio Internorte, mas ela não passa naquele trecho da Av. Brasil), do consórcio Santa Cruz, e na linha deste consórcio, 367 Realengo / Praça 15.

Imagine então os passageiros que precisam fazer um verdadeiro exercício lógico para diferir as empresas de ônibus para pegar. É bonito para um busólogo que o passageiro comum confunda o carro D53509 da Transportes Campo Grande com o D58609 da Auto Viação Bangu?

Nem todo mundo fica só ocupado a ver ônibus. Temos muitas coisas na vida para fazer. E o trabalhador que, cheio de contas para pagar e que mora no subúrbio fica com a cabeça a mil diante de tantas diferentes empresas com o mesmo visual. Isso não tem a menor funcionalidade, e deixa o passageiro de ônibus ainda mais estressado.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

ÔNIBUS INVADE EDIFÍCIO EM CURITIBA E FERE 24


Um ônibus do tipo "Ligeirinho" causou um acidente em Curitiba na manhã de hoje.

O veículo percorria a Av. Paraná, na esquina com a Rua Chichorro Jr., no bairro do Cabral, quando perdeu a direção e invadiu um prédio residencial, deixando 24 pessoas feridas, quatro delas com gravidade. Internadas, as quatro vítimas não correm risco de morte.

O acidente ocorreu nas proximidades de um terminal de ônibus. Antes do ônibus causar um acidente, uma van e um micro-ônibus colidiram. O cruzamento da Rua Chichorro Jr. com a Rua Deputado Joaquim José Pedrosa chegou a ser fechado para o trânsito para permitir o socorro às vítimas.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

ÔNIBUS CIRCULA COM LETREIRO DIGITAL DESLIGADO EM NITERÓI


O carro 2.1.140, da Viação Pendotiba / Transoceânico (na foto, durante os primeiros dias com a pintura verde), circulou no começo da tarde de ontem com o letreiro digital desligado, por volta de 12:30 e 13 horas, em Niterói.

O incidente foi observado a partir do Largo do Marrão, no Jardim Icaraí, seguindo-se até o fim de linha, no Terminal João Goulart. Mas tudo indica que o letreiro digital, desligado tanto na parte dianteira como na traseira e na lateral direita, já estava assim bem antes de passar pelo trecho observado.

O ônibus estava razoavelmente lotado, com todos os passageiros sentados e uns poucos em pé, dentro do padrão normal de um percurso de linha. O ônibus costuma circular pela linha 35 Baldeador / Centro. Aparentemente, o ônibus não parou para pegar passageiros no ponto do Largo do Marrão na Rua Dr. Paulo César.

Embora alongado, o ônibus é da mesma carroceria dos ônibus da Viação Fortaleza e Santo Antônio Transportes que passam pelo mesmo local e integram o mesmo consórcio Transoceânico. Com três portas, o ônibus da Pendotiba pode, no entanto, ser confundido facilmente com alguns semi-longos da Santo Antônio que servem a linha 39 Piratininga / Centro.

Tudo indica que o ônibus (antigo NIT.02-140), que havia recebido pintura nova há pouco mais de um mês, mas antes ostentava o visual original da empresa, apresentava algum problema técnico.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

ÔNIBUS CAI EM CANAL EM ITANHANGÁ, FERE UMA E COMPLICA TRÂNSITO NO RIO


Um acidente ocorrido na tarde de ontem, no Rio de Janeiro, deixou uma mulher ferida no bairro do Itanhangá, na região da Barra da Tijuca. Um ônibus da Transportes Futuro tentou ultrapassar um automóvel na Estrada da Barra da Tijuca quando caiu no Canal do Itanhangá

O ônibus, que servia a linha 557 Rio das Pedras / Copacabana, estava com apenas seis passageiros, além do motorista, que faz dupla função acumulando a função de cobrador. No acidente, uma passageira saiu levemente feriada na cabeça.

O acidente ocorreu por volta das 14:20 h, mas o trabalho de retirada do ônibus só se deu a partir das 17:45. O trabalho fez o trânsito ficar complicado não somente na área, mas com reflexos tanto em Jacarepaguá quanto na Zona Sul, além de muita retidão nos acessos para os túneis que ligam a Barra da Tijuca à Gávea.

O congestionamento durou mais de duas horas e o trânsito foi liberado somente às 20 horas.


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

ACIDENTE FERE 16 EM SANTA TERESA, NO RIO DE JANEIRO


Um acidente ocorrido esta manhã na Rua Joaquim Murtinho, no bairro de Santa Teresa, no Rio de Janeiro, deixou 16 feridos, 12 deles sem gravidade, de acordo com informações do Corpo de Bombeiros.

O ônibus perdeu a direção e bateu em um poste, na altura do número 530 da citada rua, no mesmo local onde, no ano passado, ocorreu a queda de um bonde que matou seis pessoas e feriu outras 50.

O ônibus é da Transurb, empresa que era considerada uma das mais exemplares do Rio de Janeiro até 2010, pela acelerada renovação e regular conservação de sua frota. Mas hoje a empresa circula com parte da frota com lataria amassada e até raspada, mesmo em linhas para a Zona Sul.

A Transurb ainda comete o equívoco de circular na linha 691 Méier / Alvorada, do consórcio Transcarioca, com carros pintados com as cores do consórcio Intersul.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

ACIDENTE MATA UMA PESSOA E FERE DEZ NO RIO DE JANEIRO

Um acidente ocorrido na madrugada de hoje, no Rio de Janeiro, causou uma morte e feriu mais de dez pessoas.

Um ônibus da Real Auto Ônibus (consórcio Intersul), da linha 173 Rodoviária / Leblon (via Túnel Santa Bárbara) derrubou uma grade de proteção no Sambódromo, na altura da Cidade Nova, e bateu em uma estrutura. Uma mulher, que até a edição deste texto não havia sido identificada, morreu.

Os feridos foram levados para hospitais próximos, entre eles um turista francês. Bombeiros e policiais que vieram prestar socorro às vítimas não informaram sobre as causas do acidente. O ônibus teria perdido a direção quando sofreu o acidente.




sábado, 17 de novembro de 2012

SINALIZAÇÃO NA LATARIA DO ÔNIBUS DERRAPA NA ORTOGRAFIA



COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: É tragicômica a situação dos ônibus do Rio de Janeiro, depois da intragável, autoritária e nociva padronização visual nas frotas de ônibus, que puxou todo um "novo" modelo que, além dessa medida terrível e prejudicial para os passageiros, trouxe também a sobrecarga de horário dos rodoviários e a concentração de poder do Secretário de Transportes.

O leitor Mauro Minsky notou um erro num ônibus do Rio - provavelmente Viação Redentor - digno da seção "Pracas do Braziu" do portal humorístico Kibeloco, e enviou a foto acima e a referida queixa.

Sinalização na lataria de ônibus derrapa na ortografia

Leitor flagrou erro em veículo que circulava por Copacabana

Do Eu Repórter - Jornal O Globo, com informações de Mauro Minsky

RIO - O clima dentro do ônibus pode até ficar agradável com a climatização, mas, do lado de fora, o erro na lataria arde nos olhos de quem vê. Na última sexta-feira, o leitor Mauro Minsky flagrou um ônibus do consórcio Transcarioca com a inscrição “ar condiocionado” na lateral, na Avenida Atlântica.

— Por volta das 11h, na altura da Rua República do Peru, notei o tamanho absurdo. Fiquei indignado, pois é um serviço concedido e fiscalizado pela prefeitura, mas desafina a língua desse jeito — relata Minsky, que não conseguiu anotar a placa nem a linha do coletivo por causa do trânsito.

De acordo com a subsecretaria de Fiscalização da secretaria municipal de Transportes, queixas sobre erros na pintura dos ônibus não costumam ser recebidas. Os veículos da frota da cidade passam por uma vistoria anual, em que todos os itens, incluindo as inscrições externas, são verificados. Caso alguma discordância na sinalização seja encontrada, as empresas são orientadas a fazer as mudanças necessárias e retornar para uma nova vistoria.

O Consórcio Transcarioca, identificado como responsável pelo ônibus flagrado graças ao padrão de cores implantado na cidade em novembro de 2010 (azul, no caso do Transcarioca), afirmou que cada empresa é responsável pela pintura e adesivagem de sua frota. O consórcio diz que irá identificar e alertar a empresa dona do veículo para que o erro seja corrigido, mas não fixa prazos.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

CRIMINOSOS REAGEM COM INCÊNDIOS A ÔNIBUS EM SP E SC


Provavelmente por inspiração na onda de assassinatos e vandalismo que acontece na Grande São Paulo, possivelmente ordenados pelos chefes do Primeiro Comando da Capital (PCC), principal grupo criminoso do Estado, é a vez de Santa Catarina sofrer a onda de vandalismo.

Em São Paulo, só desde o último dia 24 de outubro, 162 pessoas foram assassinadas na Região Metropolitana. Vários ônibus foram queimados, incluindo articulado, micro-ônibus e até mesmo um ônibus de turismo.

Em Santa Catarina, os atentados se voltam principalmente para os ônibus. Só no último dia 13 três ônibus foram incendiados em Florianópolis e nas cidades de sua região. Mas Blumenau e Navegantes também tiveram atentados a ônibus.

Os crimes não foram até agora esclarecidos, mas 36 suspeitos já foram detidos, vários deles pegos em flagrante com material inflamável, como gasolina. 15 dos detidos são menores de idade.

Segundo informações da Polícia Militar, a hipótese mais provável é que os atos de vandalismo sejam feitos em protesto contra o tratamento que os criminosos recebem nas penitenciárias. O assassinato da esposa de um diretor de uma penitenciária em Florianópolis teria sido uma das represálias.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

ÔNIBUS ENGUIÇADO COMPLICA TRÂNSITO DA AV. BRASIL ESTA MANHÃ


Um ônibus da Viação Madureira Candelária enguiçou e agravou o congestionamento que já havia na Av. Brasil, na altura de Bonsucesso, Zona Norte do Rio de Janeiro.

O incidente aconteceu hoje de manhã, causando muitos transtornos para quem se dirigia pelo local.

Nota-se que os passageiros tiveram que esperar na pista central, onde o ônibus enguiçou, por um outro ônibus que as levasse para seus destinos.

Em março e abril, a SET-Rio registrou 643 ônibus municipais do Rio de Janeiro enguiçados, correspondendo a uma média de 10 por dia.

domingo, 11 de novembro de 2012

ÔNIBUS RECEBEM UMA MULTA A CADA QUATRO MINUTOS NO RIO


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: É cada vez mais evidente a decadência do modelo adotado para o sistema de ônibus do Rio de Janeiro, nos últimos dois anos. Prepotência da secretaria de Transportes, padronização visual, sobrecarga de trabalho para os rodoviários, corrupção administrativa, dupla função de motoristas e, como este texto do jornalista Bruno Rohde mostra, as infrações de trânsito.

Abaixo, é publicada a lista das piores linhas municipais do Rio de Janeiro. Note-se que até a Zona Sul apresenta irregularidades no serviço de ônibus carioca, o que não é "privilégio" dos subúrbios da Cidade Maravilhosa localizados nas zonas Oeste e Norte.

E ainda tem busólogo criando blogue ofensivo de "comentários críticos" porque não suporta ouvir certas verdades...

Ônibus recebem uma multa a cada quatro minutos no Rio

Por Bruno Rohde - Jornal Extra

A cada quatro minutos um motorista de ônibus é multado na cidade do Rio. Além de frequente, o desrespeito às leis de trânsito está aumentando na capital. Entre janeiro e agosto de 2011, os condutores de ônibus cometeram 45.769 infrações, segundo os registros do Detran. Este ano, no mesmo período, o número mais do que dobrou. Saltou para 94.129 infrações. Isso significa que durante um dia, só na capital, os ônibus recebem 385 multas.

— Tem motorista que anda muito rápido. Outro dia, teve um que deu uma freada, e todo mundo foi lá na frente — disse Ailma Bianchi, de 55 anos.

Reclamações como essa feita pela cuidadora de idosos são recorrentes na Secretaria municipal de Transportes. As denúncias geram um ranking com as piores linhas. Passageira frequente do 432 (Vila Isabel-Leblon), Ailma tem motivo para se preocupar. A linha em questão está entre as piores da cidade, segundo depoimentos dos próprios usuários.

Um levantamento feito pelo EXTRA com 54 placas de ônibus de 15 dessas linhas que mais recebem reclamações mostra que a desonrosa posição não se dá por acaso. Juntos, esses veículos já receberam 984 multas, desde 2006.

O ônibus, placa KNZ 4225, da linha 398 (Campo Grande - Tiradentes), foi o campeão de irregularidades. Desde 2011, o veículo levou 66 multas. E essa não é a única reclamação contra a linha. A atendente Ana Paula Conceição, de 30 anos, queixa-se do preço diferenciado entre os veículos expressos e os conhecidos como paradores (mais pontos no trajeto).

— Às vezes, o ônibus expresso sai até vazio. É um absurdo essa diferença, mas falam que é porque um tem ar condicionado e o outro não. Só que eles já tiveram o mesmo preço — diz ela, reclamando do sistema de tarifa diferenciado.

Vice-presidente do Rio Ônibus, sindicato que representa as empresas, Otacílio Monteiro não tem uma explicação para o aumento do número de multas, mas garante que as empresas estão investindo na formação de seus condutores até para reduzirem seus prejuízos:

— Acho estranho esse aumento de multas. A frota da capital diminuiu de 9400 para 8700 ônibus, desde a implantação do BRS (corredores para ônibus adotados no Centro e na Zona Sul). E temos a expectativa de diminuir ainda mais. Por outro lado, investimos muito na formação dos motoristas para que eles se conscientizem de que, no fim, essas multas são um ônus grande. Isso denigre a imagem de todo um sistema e pesa no bolso.

Usuários criticam a conservação dos veículos da linha 524 (Botafogo-Barra da Tijuca) Usuários criticam a conservação dos veículos da linha 524 (Botafogo-Barra da Tijuca) Foto: Fábio Teixeira / Extra

Infratores ainda ocultos

Das 94.129 multas registradas contra os ônibus até agosto deste ano, 32% são dadas às empresas pela não identificação dos condutores infratores. Ao tomar conhecimento do número, o promotor Carlos Andresano afirmou que estuda cobrar respostas da Secretaria de Transportes e do Detran para saber quais são as empresas que estão omitindo o nome de seus motoristas. Na visão dele, essa atitude é irregular e pode gerar punição.

— Esta situação é preocupante. As empresas que não cumprem as suas obrigações contratuais são passíveis de um procedimento administrativo. Em último caso, pode haver a cassação da concessão da empresa — disse ele.

O secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório, afirma que as empresas terão que informar os nomes dos condutores infratores:

— De certa maneira, as empresas acobertam as infrações dos motoristas para protegê-los de punições na carteira de habilitação. Isso faz com que o motorista tenha uma cobertura para ser mais imprudente. Vamos exigir que as empresas divulguem seus motoristas infratores. Encontraremos um meio de atingir esse objetivo. As empresas estão nos informando o nome de todos os seus profissionais habilitados. Esse cadastro está em andamento.

As piores linhas em nível de serviço

1 - 352 (Castelo-Rio Centro)

2 - 331 (Castelo-Praça Seca)

3 - 915 (Bonsuceso-AIRJ)

4 - 892 (São Benedito-Santa Cruz)

5 - 398 (Campo Grande-Tiradentes)

As piores linhas em conduta

1 - 422 (Grajaú-Cosme Velho)

2 - 457 (Abolição-General Osório)

3 - 128 (Rodoviária-Gávea)

4 - 170 (Rodoviária-Gávea)

5 - 409 (Saens Pena-Jardim Botânico)

As piores linhas em conservação

1 - 186 (Central-São Conrado)

2 - 320 (Praça XV-Parque União)

3 - 524 (Botafogo-Barra da Tijuca)

4 - 323 (Bananal-Castelo)

5 - 432 (Vila Isabel-Leblon)

Ranking da Secretaria Municipal de Transportes feito por meio de denúncias dos usuários (julho, agosto e setembro).

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

ÔNIBUS TOMBA NA AV. BRASIL E DEIXA 23 FERIDOS


Um acidente com um ônibus no começo da tarde de hoje causou 23 feridos, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A ocorrência se deu na altura do bairro de Campo Grande, com um ônibus do tipo midi, da Empresa de Viação Algarve, que tombou em um acostamento.

O impacto do acidente vez com que um dos feridos ficasse em estado grave, com o risco de perder os dedos das mãos. Socorridas pelo Corpo de Bombeiros, as vítimas foram encaminhadas para os hospitais Rocha Faria, em Campo Grande, Albert Schweitzer, em Realengo e Pedro II, em Santa Cruz, todos na Zona Oeste.

O trânsito ficou bastante lento no local, e até as 13 horas não houve informação sobre o que teria provocado o acidente, o primeiro a ser notícia depois que Alexandre Sansão deixou a Secretaria Municipal de Transportes para se tornar sub-secretário, depois da posse do atual titular Carlos Roberto Osório.

A gestão de Sansão foi marcada por diversos transtornos causados por medidas como a padronização visual dos ônibus e a sobrecarga profissional dos motoristas (alguns assumindo dupla função, cobrando passagens).

A Algarve é uma das empresas mais deficitárias do Rio de Janeiro e, com esse novo sistema, seu serviço piorou consideravelmente, até mesmo nos ônibus executivos para o Castelo, que em boa parte circulam com a tampa do motor aberta, o que traz risco de acidentes.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

FUNCIONÁRIOS DA REAL AUTO ÔNIBUS FAZEM GREVE


Cerca de 800 funcionários da Real Auto Ônibus, "cabeça" do consórcio Intersul e integrante também dos consórcios Internorte (só rodoviário) e Transcarioca, paralisaram as atividades e fazem protestos na garagem da empresa, em Bonsucesso, Zona Norte do Rio de Janeiro.

A empresa, que havia sido encampada em 1985, havia recuperado sua qualidade de serviço nos anos 90, mas a "nova lógica" do sistema de ônibus carioca, implantado pelo então secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão - que se tornou sub-secretário do atual titular, Carlos Roberto Osório - fez decair o serviço, porque o sistema deixou de permitir a autonomia identitária e operacional de cada empresa.

A Real Auto Ônibus é uma das empresas que apresentam carros enguiçando, ônibus acidentados (como na foto acima, envolvendo um carro novo) e boa parte da frota circulando com a lataria amassada nas ruas do Rio de Janeiro. A empresa opera em linhas para as zonas Norte, Oeste e Sul em ligação com o centro do Rio.

Os trabalhadores reclamam que sua jornada de trabalho é degradante, chegando ao regime escravo de 15 horas. Vários veículos também circulam com os motoristas assumindo dupla função, sobrecarregando seu trabalho e oferecendo riscos de acidentes a ele e os passageiros.

Segundo informações do portal R7, a empresa adota "práticas consideradas abusivas como obrigar o trabalhador a dobrar o serviço, sendo que quem se recusa é punido com a troca de linha e horário; exigir o transporte diário de 300 passageiros; descontar abusivamente avarias e multas dos ônibus, procedimento que é vetado pela nova lei que rege os motoristas, entre outras".

Às 15 horas está prevista uma reunião do Sintraturb (Sindicato dos Motoristas e Cobradores do Rio de Janeiro) com os funcionários e patrões da Real para definirem os rumos da greve.

sábado, 3 de novembro de 2012

ACIDENTE ENTRE CARRO E ÔNIBUS DEIXA SEIS MORTOS E OITO FERIDOS EM RIO BONITO


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Mais uma tragédia envolvendo um ônibus da 1001, embora aparentemente tenha sido causada por um automóvel. No entanto, nenhum dos mortos teria feito parte dos passageiros do ônibus, sendo cinco ocupantes do automóvel e uma pedestre.

Mesmo assim, o episódio não deixa de sugerir que se repense sobre o inchamento administrativo da 1001, que teve o ônibus danificado. Afinal, isso é um custo a mais para uma empresa com excesso de linhas e uma frota cujo código de numeração chegou a sete dígitos, a partir do carro RJ 108.1007, o primeiro divulgado dessa leva.

Acidente entre carro e ônibus deixa seis mortos e oito feridos em Rio Bonito

Do Portal R7

Um grave acidente entre um carro de passeio e um ônibus deixou seis mortos e outras oito pessoas feridas, na noite de sexta-feira (2), em Rio Bonito, município da região metropolitana do Rio de Janeiro. A colisão aconteceu no km 17 da RJ-124 (Via Lagos), no sentido região dos lagos, depois que o motorista de um Astra atropelou uma jovem que atravessava a rodovia a pé.

O acidente foi por volta de 21h30. Segundo policiais do BPRv (Batalhão de Polícia Rodoviária), após atropelar Fabiana Moraes da Silva, de 26 anos, que morreu, o motorista do Astra LUR 0790 (Araruama), que ia para o Rio, perdeu o controle da direção e chocou-se de frente contra o ônibus de turismo da viação 1001, que seguia de Niterói para Cabo Frio.

Após o impacto, o ônibus arrastou o Astra por alguns metros e ambos os veículos pegaram fogo. Nenhum dos cinco ocupantes do carro sobreviveu. PMs disseram que eles teriam morrido carbonizados. Os ocupantes seriam dois homens, um terceiro adulto cujo sexo não pôde ser identificado e duas crianças. Os corpos foram levados para o IML (Instituto Médico Legal) de Araruama.

Já os passageiros do ônibus conseguiram desembarcar antes de o fogo destruir quase todo o veículo, mas alguns tiveram feirmentos leves. Bombeiros conseguiram apagar as chamas e socorreram as oito vítimas para um hospital em Rio Bonito, para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Araruama e para outro hospital na capital fuminense.

Para o resgate, foi necessário o bloqueio das duas pistas da rodovia. Guinchos da concessionária CCR, que administra a Via Lagos, removeram o ônibus e os restos do carro na madrugada. O trânsito no KM 17 seguiu no sisetam "Pare e siga" até o início da manhã deste sábado (3), quando passou a fluir normalmente.

O acidente foi registrado pela PM na Delegacia de Rio Bonito (119ª DP).

sábado, 27 de outubro de 2012

ACIDENTES PÕEM EM XEQUE MODELO DE ÔNIBUS IMPLANTADO NO RIO


Anteontem, sete acidentes de ônibus ocorreram dentro de um período de 12 horas no Grande Rio, seis só n município do Rio de Janeiro. Entre eles, estava o acidente próximo à Praça Tiradentes, entre um ônibus da Expresso Pégaso e um outro da Viação Saens Peña, que resultou em 40 feridos sem gravidade.

Outros acidentes ocorreram na Estrada dos Bandeirantes, altura de Curicica, na Rua Primeiro de Março, na Av. Rodrigues Alves e na Av. Rio Branco. Quase todos com feridos leves. E houve um acidente que, todavia, resultou em uma morte, na Rua Vinte de Abril, próxima ao Campo de Santana, com um ônibus da Real Auto Ônibus, linha 110 Rodoviária / Jardim de Alah.

Todos eles teriam sido resultados da pressão profissional sofrida pelos motoristas. Um dos problemas do "novo" sistema de ônibus do Rio de Janeiro, além da padronização visual que dificulta a fiscalização dos ônibus pelos passageiros comuns, é tanto a pressão que os consórcios formados fazem sobre os motoristas,. forçados a rodar em alta velocidade para cumprir horários em ruas com eventuais congestionamentos, quanto às irregularidades que acobertam multas contra as empresas envolvidas.

Só o ônibus da Expresso Pégaso que se envolveu no último acidente, que fez o veículo, modelo CAIO Apache VIP II e servindo a linha 361 Recreio / Carioca (via Linha Amarela), cair de lado, havia acumulado 148 multas antes do acidente.

Muitos passageiros estão preocupados. Afinal, o sistema de ônibus do Rio de Janeiro piorou consideravelmente. Esses acidentes não podem ser considerados fatos isolados nem excepcionais, até porque eles se tornaram muito mais comuns.

O "novo" sistema de ônibus do Rio de Janeiro, implantado há dois anos, teve acidentes que deixaram, no total, milhares de feridos. Pelo menos 14 pessoas já morreram em acidentes envolvendo ônibus municipais do Rio, sendo 5 delas pelos chamados BRTs do Transcarioca.

Atualmente, existe um processo no Tribunal de Contas da União para verificar as irregularidades cometidas pelo processo de licitações dos ônibus do Rio.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

ÔNIBUS QUE SOCORREU FERIDOS NO RJ TEM LATARIA AMASSADA




O ônibus que socorreu os passageiros feridos no acidente na Praça Tiradentes, no Rio de Janeiro,  hoje de manhã, também não deixa de apontar mais um defeito que está marcando esse "novo" sistema implantado pela Prefeitura do Rio de Janeiro.

O veículo, um "micrão" da Viação Ideal, consórcio Internorte, aparece aqui com a lataria amassada na sua parte lateral.

Mesmo a iluminação sendo diferente, ela não se refletiria na lataria dessa maneira, se o ônibus não apresentasse lataria amassada, o que mostra o quanto o serviço de ônibus piorou e as latarias dos ônibus apresentam esse problema até mesmo em veículos semi-novos.

DOIS ACIDENTES, QUATRO ÔNIBUS E 40 FERIDOS NO RJ


 Dois acidentes aconteceram hoje de manhã em diferentes pontos do Rio de Janeiro, um no Centro do Rio de Janeiro e outro em Jacarepaguá. 40 pessoas saíram feridas, mas até o momento a Secretaria Municipal de Saúde não divulgou um boletim informando se havia feridos graves.

No centro do Rio, o acidente envolveu dois ônibus, um da Expresso Pégaso e outro da Viação Saens Peña, na altura da Praça Tiradentes, próxima à Rua da Carioca. O acidente aconteceu próximo a um restaurante que explodiu devido a um vazamento de gás, no ano passado, matando três pessoas.

 
Também nesta manhã, dois ônibus se chocaram na Estrada dos Bandeirantes, na altura de Curicica, na região de Jacarepaguá. A ocorrência, aparentemente, não teve fotos divulgadas, mas no acidente houve dez feridos.

As três fotos correspondem ao acidente causado no Centro carioca, publicadas no portal G1 e no portal do jornal O Dia.




Além desses dois acidentes, houve ainda um outro com dois ônibus em Niterói, na altura da Av. Feliciano Sodré junto à descida da Ponte Rio-Niterói, que teve 10 feridos.


terça-feira, 23 de outubro de 2012

ÔNIBUS CAI EM BARRANCO E PELO MENOS 13 MORREM


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: O trágico acidente da Auto Viação 1001, na Rio-Teresópolis apresenta, por enquanto, a controvérsia sobre se ele teria sido causado por falha humana ou técnica. Em todo caso, a ocorrência aponta para a crise causada pelo "inchaço" administrativo da empresa niteroiense, que conta com linhas demais e se divide entre a boa administração dos setores Niterói e Região dos Lagos e a péssima administração nos setores Macaé-Campos e Itaperuna-Nova Friburgo e adjacências, além da subestimação dos cuidados com a Rápido Macaense, do mesmo grupo empresarial.

A tragédia ocorre pouco depois da 1001 ser a primeira empresa com o código DETRO atingindo sete dígitos, a partir do carro RJ 108.1007.

Ônibus estava acima da velocidade permitida, diz perícia

Do Portal R7


A perícia no local do acidente do ônibus na serra Rio-Teresópolis revelou que o tacógrafo (aparelho que registra a velocidade do veículo) marcava 80km/h, ou seja, 20 km/h acima da velocidade permitida neste trecho da via. Entretanto, segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), ainda é preciso levantar mais informações sobre a velocidade.

O chefe da 4ª Delegacia da PRF, Paulo Cesar Gama da Luz, afirmou também que é preciso verificar, por exemplo, se o veículo estava com problema mecânico, como falta de freio, ou algum problema de saúde do motorista. A polícia vai investigar se o veículo estava sem freio ou se o motorista, que está entre os mortos, passou mal e causou o acidente.

— As primeiras informações são de que o veículo estava descendo piscando o farol, indicando aos outros motoristas que estava com algum problema. Mas, ainda há muito para se investigar. Esse local não é de grandes acidentes, ainda mais dessa proporção.

Antes de despencar no precipício, o ônibus bateu no carro de um casal, que subia a serra. De acordo com a técnica de enfermagem Sônia Maria Rodrigues, ela e o marido seguiam para Teresópolis quando o carro foi atingido.

— Foi tudo muito rápido. Parecia uma ultrapassagem. O ônibus invadiu nossa pista e, quando ele estava voltando para a pista dele, a traseira atingiu nosso carro. O ônibus não parecia estar desgovernado. Meu marido virou o carro rapidamente para perseguir o ônibus, porque nós pensávamos que ele teria fugido. Não vimos que ele tinha caído na ribanceira.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

ÔNIBUS EM CIRCULAÇÃO PEGA FOGO EM CURITIBA


Um ônibus com motor traseiro pegou fogo na altura do bairro de Cristo Rei, em Curitiba, às 9 horas de hoje.

O motorista do ônibus informou à polícia que o incêndio começou em um dos pneus do ônibus, e depois o fogo se espalhou por todo o veículo, depois que ele estacionou junto a uma calçada.

O fogo atingiu a rede elétrica, que teve que ser interrompida. Os passageiros tiveram que fugir rapidamente, pulando a catraca e saindo pela porta da frente, porque as portas de trás foram travadas com o incidente.

Os passageiros haviam sido advertidos pelo motorista e pela cobradora do ônibus, que sentiram um forte cheiro de queimado dentro do veículo. O ônibus não tinha idosos nem crianças, e os passageiros saíram sem demonstrar qualquer susto. Ninguém se feriu.

O extintor de incêndio do ônibus foi utilizado e o Corpo de Bombeiros foi chamado para o local, na Rua Padre Germano Mayer, na altura das esquinas com as ruas do Herval e Francisco Alves Guimarães. O trânsito da rua foi bloqueado. Uma hora e meia depois do incêndio, só houve liberação do trânsito em meia pista.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

ACIDENTE ENVOLVE DOIS ÔNIBUS EM CURITIBA


Um acidente de ônibus ocorrido ontem em Curitiba foi registrado por câmeras da prefeitura da capital paranaense.

Dois ônibus se envolveram numa batida, que também envolveu uma motocicleta. Foi no centro de Curitiba, no cruzamento entre a Avenida Doutor Muricy com a Rua Cruz Machado. 11 pessoas saíram feridas, sem gravidade.

A colisão ocorreu com dois ônibus do tipo Ligeirinho, um da linha 607 Colombo / CIC e outro da linha 307 Bairro Alto-Santa Felicidade. Um dos ônibus teria ultrapassado o sinal vermelho e atingido a moto e o outro ônibus.

O acidente, ocorrido às 6:30, fez o trânsito dos dois logradouros ser desviado para outros acessos mais próximos. Todos os feridos já saíram do hospital.

Uma hora depois, outro acidente ocorreu na mesma terça-feira 16, entre um ônibus e um automóvel, na Rua Luciano Carvenalli, deixando uma vítima, ferida sem gravidade.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

ACIDENTE ENVOLVE DOIS ÔNIBUS NO RJ E FERE 60


Na manhã de hoje, um acidente envolveu dois ônibus da Auto Viação Bangu e uma van, numa batida ocorrida na Rua Alberico Diniz, paralela à Av. Marechal Fontenelle, em Sulacap, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

No acidente, 61 pessoas saíram feridas, sendo o motorista de um dos dois ônibus - ambos midis - em estado grave, por ter ficado preso às ferragens do seu veículo.

Bombeiros se dirigiram ao local e socorreram todas as vítimas. Segundo informações divulgadas pela assessoria do Corpo de Bombeiros, os feridos foram encaminhados para os hospitais Salgado Filho, no Méier, Albert Schweitzer, em Realengo e Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

A área do acidente é um local de grande movimento, e o incidente aconteceu no sentido para Vila Valqueire da rua, cuja área serve de ligação entre Realengo e Campinho (bairro da região de Madureira).

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

ÔNIBUS DO RIO DE JANEIRO CIRCULAM SUJOS E COM LATARIA AMASSADA


A cada dia o atual sistema de ônibus adotado no Rio de Janeiro mostra suas terríveis falhas e desastres.

A situação é tão grave que os problemas não atingem as empresas que haviam tido irregularidades, mas até mesmo as empresas que circulam na Zona Sul.

São ônibus que circulam sujos, com a graxa riscando o ônibus e vários veículos, inclusive os mais novos, circulam com a lataria amassada.

Numa ronda pelas ruas do Rio de Janeiro, no decorrer de ontem, nas avenidas Francisco Bicalho, Rodrigues Alves, Pres. Vargas, Rio Branco, além da Rua Araújo Porto Alegre, Estrada dos Bandeirantes e nos entornos da Cidade de Deus e Rio Centro, vários ônibus apresentaram tais problemas.

Na pesquisa feita, as empresas com ônibus circulando com as latarias amassadas observadas, todas com mais de um carro (pelo menos dois), são: Viação Madureira Candelária, Transportes Santa Maria, Viação Redentor, Transportes Futuro, Transportes São Silvestre, Transportes Estrela Azul, Transportes Vila Isabel, Transurb, Viação Saens Peña, City Rio Rotas Turísticas, Transportes Campo Grande, Real Auto Ônibus, Rodoviária A. Matias, Viação Rubanil, Transportes América, Rio Rotas Transportes e Turismo, Empresa de Viação Algarve, Viação Verdun e a mais comum delas, Expresso Pégaso.

Observa-se também que mesmo os ônibus considerados "especiais", como o Marcopolo Viale com motor traseiro da City Rio e o Neobus Mega BRS da Transilitorânea apresentaram aspecto sujo e com lataria amassada em vários carros. A Rubanil e Madureira Candelária apresentaram lataria amassada até nos carros da Mascarello Gran Via, comprados há alguns meses.

Também se observou rachaduras em pára-choques e até nas latarias de ônibus da Transurb e Saens Peña,  antes conhecidas pela sua renovação de frota rápida. Um ônibus Mega BRS da Translitorânea também circulou sem parte da borracha de proteção na porta de desembarque.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

ACIDENTES DE ÔNIBUS EM SÃO PAULO E RIO DE JANEIRO


Três acidentes envolvendo ônibus aconteceram ontem e anteontem, dois deles em São Paulo e um no Rio de Janeiro.

No último domingo, um ônibus da Viasul Transportes Urbanos teve o eixo traseiro quebrado, se deslocando para a frente. O acidente ocorreu na Vila Industrial, bairro da Zona Leste da capital paulista. O acidente fez o ônibus ficar inclinado, obrigando alguns passageiros a sair pela janela de emergência


Ontem foi a vez de um micro-ônibus da Cooperativa Cooper Líder invadiu um condomínio no bairro de Jabaquara, também na capital paulista, na manhã de ontem. O motorista teria perdido a direção e saiu ferido no acidente, sem gravidade.

No Rio de Janeiro, também ontem, um ônibus da Viação Rubanil, com ar condicionado e considerado um dos carros semi-novos da empresa, invadiu uma casa na Avenida Monsenhor Félix, na altura de Irajá.
Neste acidente, o motorista também teria perdido a direção, enquanto o ônibus se dirigia à casa. O motorista, o cobrador e uma passageira saíram feridos, sem gravidade.

Tudo isso faz pensar a respeito desse modelo de transporte coletivo que é hoje adotado em muitas capitais. O poder das secretarias de transporte, em vez de fiscalizar e disciplinar, tira a autonomia operacional das empresas e deixa os passageiros e rodoviários em sérios e diversos riscos.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

JUSTIÇA DECRETA FALÊNCIA DA BUSSCAR


Na tarde de ontem, o juíz Maurício Cavallazi Povoas, da 5ª Vara Cível de Joinville (SC), decretou a falência da fabricante de ônibus Busscar, que tinha mais de 60 anos de existência, incluindo o tempo em que, até 1990, era conhecida como Carrocerias Nielson, empresa sediada naquele município catarinense.

Foi determinado o prazo de 90 dias anteriores à data de protocolo da ação de recuperação judicial na Justiça como data inicial da falência. A empresa teve que suspender todas as atividades, através das quais tentava manter a produção de ônibus como tentativa de superar a crise financeira.

O Instituto Rainoldo Uessler, especializado em auditorias, pérícias, reavaliações e administração de inventários, foi designado para cuidar da administração judicial da falência, tornando-se responsável por todos os compromissos relacionados, além da apresentação de todos os relatórios necessários.

O juíz Maurício Povoas também decretou o lacre das empresas do grupo Busscar: Busscar Ônibus S.A., Bus Car Investimentos e Empreendimentos Ltda., Buscar Comércio Exterior S.A., Lambda Participações e Empreendimentos S.A., Nienpal Empreendimentos e Participações Ltda.. A Tecnofibras HVR Automotiva S.A. e a Climabuss Ltda. foram autorizadas a continuar funcionando provisoriamente, pelo prazo de um mês.

A decisão da falência foi tomada depois da realização da Assembleia Geral de Credores, depois de duas sessões interrompidas em 22 de maio passado e no último dia 25. Não houve aprovação unânime do Plano de Recuperação da Busscar, o que inviabilizou esse projeto, que livraria a empresa catarinense da falência.

A Busscar pode recorrer da sentença judicial. Advogados da empresa já estudam a possibilidade de entrar com essa ação e evitar o processo de falência, constituindo na última esperança de haver possibilidade de recuperação da empresa, que não é nula.

A Busscar surgiu em 1946 como Carrocerias Nielson, sempre com sua sede em Joinville. Tornou-se famosa pela família de ônibus rodoviários intitulada Diplomata, iniciada em 1961 e encerrada em 1990. Era considerada uma das mais prestigiadas fabricantes de ônibus do Brasil. O nome Nielson deixou de ser publicamente difundido em 1990 e juridicamente denominado em 1998, substituído, em ambos os casos, pelo nome Busscar.

Há 25 anos a empresa havia retomado a fabricação de ônibus urbanos desativada em 1961, com a linhagem intitulada Urbanus (depois rebatizada para Urbanuss). Mas, curiosamente, em Santa Catarina alguns ônibus Diplomata chegaram a ser adaptados para a estrutura de ônibus urbanos.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

OUTRA CONFUSÃO RESULTANTE DA PADRONIZAÇÃO VISUAL


Quem observa esse ônibus, dentro do contexto da padronização visual, pode achar que se trata de um ônibus da Viação Fortaleza que, entrando na Rua Álvares de Azevedo, se dirige normalmente para a Rua Gavião Peixoto no percurso da linha 53 Santa Rosa / Centro (via Praia de Icaraí).

No entanto, se trata de um ônibus da Expresso Miramar, também do consórcio Transoceânica, "cortando" caminho para ir à sua garagem na Av. Rui Barbosa (antiga Estrada da Cachoeira), preferindo seguir pela Rua Gavião Peixoto em vez de ir até o Canto do Rio (Rua Joaquim Távora), por conta de algum congestionamento.

Desse modo, dá para notar o quanto esse "baile de máscaras" que se tornou o sistema de ônibus do Grande Rio (Niterói e Rio de Janeiro, pelo menos) causa transtornos e não traz vantagem alguma, seja de caráter técnico, seja relacionado ao interesse público.

Há quem goste - e defenda com certa arrogância e até intolerância - dessa padronização visual, de ver as empresas diferentes exibindo as mesmas cores. Mas os passageiros é que sentem os prejuízos dessa medida, um problema lamentavelmente ignorado para quem não vive as realidades das ruas. E, infelizmente, há uma certa "elite" de busólogos que só preferem observar os ônibus de fora.

domingo, 23 de setembro de 2012

ÔNIBUS ENGUIÇADOS E COM LATARIA AMASSADA NO RIO DE JANEIRO


Hoje, no Rio de Janeiro, vários ônibus apresentaram problemas no entorno das avenidas Brasil e Rodrigues Alves.

Além dos poucos carros em circulação, obrigando as pessoas a esperar muito tempo por um ônibus, para cada bairro da Zona Norte do Rio - mas a espera também se notou nos ônibus da Real Auto Ônibus para a Zona Sul, no ponto em frente à Rodoviária Novo Rio - , vários tinham a lataria amassada.

É o caso de vários carros da City Rio Rotas Turísticas, modelo Marcopolo Torino 2007, da Transportes América, modelo Mascarello Gran Midi, da Transportes Campo Grande e Expresso Pégaso,  em vários modelos de carrocerias, e até mesmo um carro mais novo da Viação Rubanil, Mascarello Gran Via 2011, circulou com a lataria bastante amassada.

Além disso, foram vistos ônibus enguiçados na Av. Brasil, como um carro da CAIO Apache VIP II, da Transportes Campo Grande, na altura de Parada de Lucas, sentido Campo Grande, e um ônibus da Marcopolo Torino 2007 alongado da Real Auto Ônibus, na altura de Manguinhos, sentido Centro.

Da frota intermunicipal, notou-se a desativação da linha 005 Mesquita / Praça Mauá da Turismo Trans1000. A empresa teria vendido boa parte de sua frota para pagar parte das despesas e aproveitou as obras no terminal Américo Fontenelle para desativar a linha 005 (a empresa põe e tira as linhas de circulação como quiser) e jogar a demanda para a 478 Mesquita / Central.

A Transmil, por isso, anda circulando com a frota bastante reduzida. Vários carros com ar condicionado e outros de modelos mais antigos foram vendidos. Além disso, a linha 651 Mesquita / Pavuna também teria se desativado, "absorvida" pelo ramal da linha 481 Mesquita / Melhoral.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

ÔNIBUS APRESENTAM INFESTAÇÃO DE BARATAS NO RIO



COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: O "novo" modelo de sistema de ônibus do Rio de Janeiro, inspirado na ditadura militar, se baseia não na transparência do serviço de ônibus - já que as empresas têm sua imagem camuflada, dificultando o reconhecimento pelo passageiro comum - , mas na concentração de poder das secretarias de transporte.

Isso faz com que as empresas de ônibus deixem de prestar um bom serviço, já que são desprovidas de autonomia operacional, tamanho o poder do secretário de transportes, que se transforma num dublê de administrador do sistema de ônibus.

Ônibus apresentam infestação de baratas no Rio

Do Portal G1, sob colaboração dos internautas Antônio Rodrigues de Farias e Luís Eduardo Losada Santiago

Baratas invadiram dois ônibus de linhas diferentes na cidade do Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (19). Leitores que estavam nos veículos filmaram os insetos e enviaram as imagens ao VC no G1.

O internauta Antônio Rodrigues de Farias estava em um ônibus que ia sentido Rio das Pedras quando viu a infestação. “Embarquei no ônibus por volta das 12h, no Barra Shopping. O veículo estava cheio de baratas de todos os tamanhos. Os passageiros não podiam se sentar. Uma total falta de respeito com a dignidade dos cidadãos”, relata.

Já o estudante de engenharia Luis Eduardo Losada Santiago percebeu a presença das baratas quando embarcou em um ônibus da linha 323, que cobre o caminho de Bananal a Castelo, no Centro do Rio. “Foi a primeira vez que presenciei uma situação dessas. Os passageiros tiveram que viajar de pé”, conta.
Nota da redação: em nota, a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) afirma que vai notificar os consórcios responsáveis pelas duas linhas pela irregularidade. Também serão realizadas novas vistorias nos carros, “visando verificar as condições operacionais, segurança e limpeza do veículo”.

O valor da multa para veículos que são flagrados com falta de limpeza externa e interna é de R$ 295,76, segundo a secretaria.

O departamento ainda informa que “o cidadão pode denunciar as irregularidades dos ônibus e de todos os demais modais de transporte do sistema municipal através do Portal de Teleatendimento da Prefeitura, 1746. É fundamental que seja informado o número da ordem e placa do veículo, linha, data, hora e local”.
A Transportes Paranapuan, responsável pela linha 323, diz lamentar "o inconveniente causado aos seus clientes e informa que todos os seus veículos passam por limpeza e higienização diária".

A empresa afirmou em nota que "a desinsetização mais recente, ocorrida nesta semana, foi realizada antes mesmo de completar quatro meses da última aplicação, como forma de reforço." A Paranapuan colocou à disposição a Central de Relacionamento com o Cliente: 0800-886-1000 (ligação gratuita).

Já o Grupo Redentor lamenta "pelo inconveniente" e diz que "a desinsetização em nossos ônibus, que é exigida pelo poder concedente a cada seis meses, ocorre de três em três meses em todos os veículos da empresa". 

sábado, 15 de setembro de 2012

O QUE A PADRONIZAÇÃO VISUAL PODE FAZER PARA CONFUNDIR...


Esta foto, no cruzamento da Rua Dr. Paulo César com a Av. Roberto Silveira, na esquina da Av. Marquês do Paraná, em Niterói, dá uma boa noção do que a chamada padronização visual nos ônibus pode fazer para confundir as pessoas.

É bom deixar claro que, no dia a dia, muitas pessoas ficam ocupadas demais para "examinar sem pressa" o ônibus que vai pegar e é ilusão que todo mundo "receba" sempre o ônibus vendo o veículo pela dianteira.

Muita gente tenta pegar um ônibus vendo-o na lateral, de longe, porque tem pressa e nem todas as linhas possuem uma frota grande, obrigando muitos a correrem para o primeiro ônibus que virem, mesmo à distância.

Esta foto é ilustrativa. O desavisado poderia imaginar que um carro da Viação Fortaleza, na linha 57 (Santa Rosa / Centro, via Fagundes Varela), cortou pela Paulo César - geralmente ele vai pela Rua Gen. Pereira da Silva antes de dobrar a Roberto Silveira - por alguma eventualidade e se dirige à pista lateral da avenida para dobrar a Rua Miguel de Frias em direção à Fagundes Varela.

No entanto, o ônibus em questão é da Santo Antônio Transportes, linha 45 (Cubango / Centro), que havia pego um caminho alternativo, já que normalmente passa pela Paulo César direto, talvez para se dirigir sem problemas para a pista lateral da Av. Marquês do Paraná, exclusiva para ônibus.

A pintura padronizada do consórcio Transoceânica permitiu essa "pérola", que a elite busóloga não tem o menor problema de discernir, mas os cidadãos comuns, principalmente os mais pobres, têm muita dificuldade de identificar.

São transtornos assim que a gente questiona, mas nem todo mundo gosta. Afinal, a "novidade" do visual uniformizado, desse "baile de máscaras" que se tornou o sistema de ônibus de Niterói e do Rio de Janeiro, deslumbra alguns, sobretudo aqueles que querem mamar nas tetas do Estado e que por isso fazem defesa até do serviço irregular da Turismo Trans1000.

Só que, nas ruas, a realidade é bem outra do que aquela que a ilusão dos escritórios tenta inventar.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

ÔNIBUS CONVENCIONAIS DO RJ ADOTAM "DUPLA FUNÇÃO"


Que a desorganização do sistema de ônibus do Rio de Janeiro mostra uma decadência gritante, isso é verdade.

Mas quem imagina que a coisa parou no "baile de máscaras" da padronização visual dos ônibus, nos veículos enguiçados aos montes, nos acidentes trágicos que envolvem até BRTs, porta com defeito no BRS da Translitorânea e nos males súbitos sofridos pelos motoristas, ainda não viu a tragicomédia completa.

Pois agora, não bastassem os ônibus novos adquiridos sem o banco do cobrador, como certos carros da Mascarello da Real Auto Ônibus e os da Marcopolo Torino 2007 da Viação Ideal, a pretexto de substituírem micrões que tinham essa limitação, agora são os ônibus que possuem até banco de cobrador, mas que não contam com o seu responsável, impondo a dupla função para o motorista.

O que é pior. As denúncias apontam que o "efeito Gasparzinho" - gozação para o fato de um banco de cobrador ficar vazio - ocorre geralmente de noite, na maioria das vezes em linhas destinadas ao subúrbio do Rio de Janeiro, incluindo a Zona Oeste, seguindo a "lógica" que já acontece com os ônibus para a Baixada Fluminense.

Com isso, os passageiros sofrem mais vezes o risco que a dupla função já oferece para os motoristas durante o período diurno, em céu claro. Isso porque, com o céu escuro e a cidade mais vazia, aumentam os riscos de ocorrência de assaltos, sobretudo na lentidão do embarque, e de acidentes de trânsito.

Nesse horário, já é arriscado, mesmo em condições normais, um motorista trabalhar durante a noite, mesmo acompanhado de seu parceiro cobrador. Com a dupla função, o motorista, já bastante estressado e apreensivo - pode ser assaltado a qualquer momento ou sofrer algum acidente no caminho - , ainda precisa acumular suas atenções tanto para a condução do veículo quanto para a recepção do dinheiro da tarifa e a eventual distribuição do troco.

Isso faz uma diferença bastante negativa no percurso do ônibus, transformando a simples volta para casa no período noturno em momentos de muita angústia e preocupação.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

SUSPEITO SEQUESTRA ÔNIBUS COM CRIANÇAS E USA MULHER COMO ESCUDO EM TIROTEIO EM POSTO MÉDICO


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Dois bandidos invadiram um ônibus e fizeram reféns, na altura de Costa Barros, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Houve tiroteio, um dos bandidos foi morto e outro correu para um ônibus de excursão, obrigando o motorista a conduzir o veículo até o Morro da Pedreira, onde fugiu depois de liberar os reféns. Uma refém ferida no tiroteio segue em estado grave num hospital.

Suspeito sequestra ônibus com crianças e usa mulher como escudo em tiroteio em posto médico

Do Portal R7

Bandido foi morto e outro escapou para o morro da Pedreira

Um ônibus de excursão com várias crianças foi sequestrado por um suspeito na zona norte do Rio de Janeiro, nesta terça-feira (4). De acordo com a Polícia Militar, o motorista foi obrigado a conduzir o veículo até o morro da Pedreira, em Costa Barros, onde o bandido desceu.

A perseguição ao bandido começou quando ele e um comparsa despertaram suspeita de policiais na avenida Automóvel Clube. Eles estavam em um Gol efugiram em direção a um PAM (Pronto Atendimento Municipal), em Coelho Neto, na zona norte.

A dupla invadiu a unidade e atirou contra os policiais, fazendo uma mulher refém. Ela foi baleada no abdome, socorrida pelos médicos do posto e em seguida levada para o Hospital Carlos Chagas. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o estado dela é grave.

Houve cerco policial ao PAM e um suspeito foi atingido e morreu. Outro homem conseguiu fugir e abordou o ônibus de turismo. Os professores conseguiram despistar as crianças que nada perceberam, como explicou o comandante do patrulhamento de área, coronel Rogério Leite.

 — O marginal ao fugir para o PAM usou uma senhora como escudo. Houve tiroteio e ela foi baleada. Esse suspeito [o que sobreviveu] entrou no ônibus com crianças de 10 a 12 anos e obrigou que o motorista o levasse até a comunidade. As crianças, segundo o motorista, não perceberam a situação, apenas as professoras.

Permaneceram no PAM de Coelho Neto apenas os funcionários administrativos, que prestam informações à PM. As consultas foram interrompidas e serão reagendadas. A secretaria pede que os pacientes que tenham consultas marcadas para esta terça-feira no PAM de Coelho Neto não se dirijam ao local e aguardem contato das equipes da unidade informando nova data.

A ocorrência foi registrada na Delegacia de Marechal Hermes (30ª DP).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...