terça-feira, 1 de março de 2011

TRANS1000: PROMESSA DADA PARA IMPRENSA NÃO SE CUMPRIU


CARROS COMO ESTE NÃO DEVERIAM MAIS CIRCULAR EM LINHAS INTERMUNICIPAIS. MAS CIRCULAM, COMO SE AINDA FOSSEM SEMI-NOVOS.

Passou todo o mês de fevereiro e os prometidos "50 novos carros" da Turismo Trans1000, infelizmente, não vieram.

Hoje mesmo, no Bom Dia Rio, da TV Globo, apareceu um Marcopolo Torino 99 (lote de 2004), circulando próximo à Rodoviária Novo Rio, um modelo de carroceria já fora de fabricação há quatro anos e há um bom tempo já fora de circulação nas empresas que operam linhas intermunicipais.

O assessor da Transmil não informou se os "novos carros" eram usados ou não, e ficou nisso mesmo. Para a minoria barulhenta de busólogos que se apegam demais à Transmil, e que há muito tempo pedem para que "tenhamos esperança pela empresa", tanto faz como tanto fez. Eles não pegam os ônibus da empresa, mesmo.

É lamentável que uma empresa com um serviço tão péssimo ainda insista em continuar rodando, em meio a uma série de boatos, uns mais otimistas, outros não. Enquanto isso, os passageiros que só dependem dos ônibus da Transmil, que moram em Nilópolis e Mesquita, vivem com insegurança e medo.

Os ônibus até agora não rodam com acesso para deficientes - uma regra federal, ampla e explicitamente divulgada - , os veículos com ar condicionado apresentam problemas com aparelho sujo e funcionando precariamente, entre outros transtornos, vários deles constrangedores.

Sem falar que, além de não terem vindo os "carros novos" da Transmil, também não foi compensada a redução das frotas nas linhas da empresa, cujas esperas são demoradas, pois as supostas novas aquisições simplesmente não vieram, sequer para exposição nos fotologs de ônibus.

Será que ninguém sabe que, se a gente reclama tanto da Transmil, é porque a empresa está de mal a pior?

Para certos busólogos, é legal passar meses e meses com uma esperança que mais parece uma espera interminável, mas para os passageiros, não. Alguns busólogos, apegados demais à marca "Transmil", chegam a ser agressivos, arrogantes e insensatos. Claro, não tiveram parentes ou amigos entre os feridos no acidente de setembro passado.

Eu também não tive parentes ou amigos entre feridos, mas nem por isso fico indiferente ao drama da Transmil e o que seus fãs desconhecem é que a população sofre e está impaciente e pouco acredita em mudanças na empresa.

O mais grave disso tudo é que as promessas de renovação de frota da Transmil foram dadas para O Globo, jornal de maior circulação no Estado do Rio de Janeiro e um dos maiores do país.

Enquanto isso, os passageiros fogem da Transmil e vão pegar outros ônibus. O Bilhete Único ainda facilitou em parte isso, e dificilmente a Transmil atrai uma demanda que vá sanear seus custos, altíssimos.

Por isso, circulando ou não circulando, a Transmil - que, cada vez mais, se equipara a um transporte de bóia-fria - têm dívidas pesadíssimas sendo negociadas na Justiça. O desgaste da marca Transmil é um fato objetivo que não pode ser desprezado, afinal vamos deixar as paixões de lado porque, enquanto os busólogos tentam acreditar na Transmil, os passageiros e rodoviários (que esperam salários atrasados e encargos ainda descumpridos) sofrem horrores.

Não adianta o fã da Transmil se defender dizendo "lá vai você falando besteira, eu também não quero que a empresa continue na mesma" porque, na prática, acaba consentindo com a situação. Se gosta ou não da situação da Transmil, é outra coisa, pois torna-se um problema pior aceitar a situação atual a pretexto de uma esperança que os fatos comprovam ser quase impossível de se realizar.

Quando escrevi, num fotolog, que só um Eike Batista poderia salvar a Transmil, não estava fazendo ironia. O pessoal não gostou, disse que eu "falava besteira", mas a situação é essa, mesma.

O grande temor é que, se vier mais uma "renovação de frota" da Transmil, será com mais um resto de usados de terceira mão. Quando é que vamos ter que aturar mais "novos carros" que passaram por três empresas antes? Só virá Marcopolo Torino 2007 para a Transmil depois da Copa de 2014?

Enquanto isso, os passageiros sofrem, os rodoviários sofrem. De que adianta dizer que está solidário aos sofredores, se o apego fanático e neurótico a uma empresa, cuja história já se perdeu no passado, aponta uma conformação com sua situação calamitosa, a título de supostas esperanças, que nunca se realizam.

Fico até assustado com o fanatismo dos fãs da Transmil, que chega aos níveis do absurdo típico de um livro de Franz Kafka (1883-1924), que tanto escreveu sobre certos absurdos injustificáveis e misteriosos da natureza humana.

Há mais de seis meses escrevo textos criticando a Transmil e as únicas mudanças que ocorreram foram pequenas alterações nos estofados especiais (agora amarelos) e nas bandeiras das linhas, que adotaram o padrão fundo preto e letreiro verde.

Mas são só mudanças decorativas. De resto, é a mesma frota velha, de ônibus já fora de fabricação, uns com aparelho de ar condicionado velho, enferrujado e contaminado de fungos, com chão antiderrapante rasgado e portas com borracha também rasgada.

Enfim, uma tragédia de erros que já nem tem mais comédia.

3 comentários:

  1. concordo plenamente com tudo o que foi dito acima a trasmil ja deu o que tinha que dá ñ tem nenhuma condição de continuar circulando com aquelas latas velhas que parece uma carroça ambulante ontem mesmo o onibus quebrou perto da guadalupe pq a marcha ñ passava pelo amor de deus p~ço que alguem tome uma providencia daqui a pouco a passagem aumenta para 6 reais e continua a pouca vergonha de sempre...

    ResponderExcluir
  2. porque não abre licitação e tira essa empressa de circulação,nem a empressa mirante/vila rica tem onibus nesse estado deploravel.prefiro ander de trem do que arriscar a minha vida,ja que nem dinheiro para indenização eles devem ter.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...