sábado, 26 de março de 2011

EDUARDO PAES OFENDE PORTUGUESES AO DEFENDER PADRONIZAÇÃO VISUAL



Se Eduardo Paes desejou provar ser um dos "melhores prefeitos do país", as últimas semanas mostraram que tal intenção foi um completo desastre.

Primeiro, o prefeito do Rio de Janeiro e seu mentor, o governador fluminense Sérgio Cabral Filho, ordenaram há uma semana a prisão de vários manifestantes - entre eles uma idosa e um menor - que faziam protesto contra o presidente dos EUA, Barack Obama, que passou dois dias no Brasil, um deles na cidade do Rio de Janeiro.

Segundo, alguém relacionado, ainda que talvez como simples adepto, da dupla Eduardo Paes - Sérgio Cabral Filho, teria feito um atentado, na última quarta-feira, em plenas 11 horas, contra o blogueiro Ricardo Gama, que fez várias denúncias contra os dois políticos.


"EMBALAGEM DE AZEITE" - Alvo principal dos ataques de Eduardo Paes teria sido a Empresa de Transportes Braso Lisboa (foto).

Terceiro, foi a entrevista do próprio Eduardo Paes à Rádio Globo, quando ele declarou que o padrão tradicional dos ônibus cariocas era "feio" como "latas de azeite português". Provavelmente, um dos alvos teria sido a empresa Braso Lisboa, que tem uma das mais belas pinturas entre os ônibus cariocas, ainda vistas (por enquanto) em carros municipais ainda não repintados e em toda a frota intermunicipal para Niterói.

O comentário foi infeliz também se percebermos que a padronização visual dos ônibus cariocas lembra muito bem as embalagens de remédios, do tipo Berotec.

Com o comentário, Eduardo Paes irritou a comunidade portuguesa, que tem na produção de azeites uma de suas mais respeitosas e prestigiadas tradições culturais. O que mostra mais uma vez as trapalhadas do prefeito carioca, que nas vésperas de 2014 e 2016 só cometeu equívocos, que podem muito bem manchar sua imagem diante das autoridades e turistas estrangeiros.

Um comentário:

  1. Já meio que imaginava a resposta dele que um deboche que deu.

    Quando disse embalagem de azeite, pensei que referisse aquelas empresas que tinham pinturas tradicionais e históricas (principalmente uma que tinha uma pintura creme/azul com a faixa vermelha de baixo da janela com MAIS de 50 anos e atua na Zona Sul) que, simplesmente, foram por saco só para imitar por imitar. E Londres?

    Outro detalhe: já comentei: se distanciou politicamente do sr.César Maia, mas, está cumprindo a cartilha do seu ex-chefe onde as palavras tradição e história não fazem parte do seu vocabulário. Quem não se lembra do tradicional Tívoli Park tirada à força pelo sr.César Maia?

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...