quinta-feira, 26 de agosto de 2010

FAIXAS SELETIVAS GERAM RISCOS PARA MOTORISTAS EM NITERÓI



COMENTÁRIO DESTE BLOG: Medida defendida por tecnocratas, a adoção de faixas seletivas para ônibus (e, por vezes, também para táxis) nem sempre mostra total eficácia na disciplina do trânsito nas grandes cidades. Uma série de transtornos relacionados a limites de ruas e falta de sinalização comprometem a medida, que se tornou um modismo na reorganização urbana das cidades, dentro de uma perspectiva "futurista" lançada em Curitiba e que demonstra não responder a todos os problemas relacionados ao trânsito.

Faixas seletivas geram riscos para motoristas em Niterói

Thaís Sousa - jornal O Fluminense

Além de saídas estratégicas para carros de passeio, falta sinalização adequada e orientação a respeito de rotas alternativas para o tráfego.

Mudanças de tráfego mal orientadas são um risco para motoristas em Niterói. Criadas para ordenar o tráfego intenso de Niterói, as faixas seletivas têm causado mais transtorno e confusão do que benefícios para os carros de passeio. Na Avenida Feliciano Sodré, por exemplo, a falta de sinalização sobre o fim da faixa seletiva leva os condutores que vêm da Ponte Rio-Niterói a manobras arriscadas, tendo que cortar na frente de ônibus para poder virar em uma das ruas do Centro. Para o engenheiro de trânsito e conselheiro do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea-RJ), Abílio Borges, falta uma orientação permanente e eficaz.

No sentido Centro da Avenida Feliciano Sodré, as duas faixas da direita são exclusivas para ônibus. No entanto, entre a Rua Barão do Amazonas e Visconde de Itaboraí, há um “intervalo” da faixa seletiva. Os motoristas que vêm da Ponte, têm que cruzar, assim que descem, para as pistas da esquerda, mas, se quiserem virar à direita em alguma das ruas transversais, têm cerca de 50 metros (no intervalo da faixa) para atravessar de novo. E, logo após o cruzamento da Rua Visconde de Itaboraí, a sinalização horizontal volta a indicar que as faixas da direita são exclusivas para coletivos.

Na Avenida Visconde do Rio Branco, no trecho próximo ao Plaza Shopping, a situação também é complicada. Entre as ruas 15 de Novembro e Aurelino Leal, existe uma faixa seletiva para ônibus, com radar. Quem pretende entrar na Rua Aurelino Leal precisa cruzar a faixa, cortando os ônibus. E tem até linha de ônibus, que vem da faixa seletiva da esquerda que precisa cruzar a pista para entrar mais adiante, na Rua da Conceição.

Para o engenheiro Abílio Borges, a saída é sinalização específica nas vias, inclusive sobre as alternativas de tráfego. “A Prefeitura tem que avisar permanentemente, sinalizando o trecho inteiro. Pode até chegar ao extremo de colocar agentes nas ruas educando o dia todo. Os contribuintes têm que ser respeitados e informados”.

Motoristas dizem que multas são injustas
Quem utiliza as vias se sente prejudicado. O contador Paulo Carneiro, de 69 anos, contou que já foi multado mais de uma vez por trafegar em faixa seletiva sem saber. Para ele, falta orientação aos motoristas sobre as possíveis alternativas de trânsito. “Já levei algumas multas por causa dessas faixas seletivas. Para mim, não passa de uma forma de arrecadar com multas, porque a Prefeitura não orienta ninguém, só multa”, reclama. O mecânico Adenilson Fagundes, de 43, acredita que o local deveria ter, pelo menos, um semáforo especial para quem vai virar. “Se o motorista não mudar de faixa rápido, tem que atravessar na frente dos ônibus. Isso é um risco enome e um incentivo às infrações”, diz.

Questionada, a Niterói Transporte e Trânsito (NitTrans) informou que é preciso seguir a sinalização regulamentar no trânsito. “No caso da faixa seletiva da Rua Visconde do Rio Branco existe sinalização indicativa autorizando o motorista a cruzar à direita para a Rua Aurelino Leal, através da linha tracejada. A invasão da faixa seletiva é caracterizada, sendo passível de autuação pelo sistema eletrônico, se o motorista vier a trafegar pela via ou cruzar a faixa contínua. O radar nas proximidades da loja Leader está em funcionamento. Na Avenida Feliciano Sodré igualmente não existe impedimento em acessar a Rua Visconde de Itaboraí, e o motorista também deve seguir a sinalização indicativa, sem o risco de multa no trecho. A autuação por invasão de faixas pode ser feita tanto por meio eletrônico como por agentes”, avisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...